domingo, 13 de dezembro de 2015

VENENO

Perco-me nas palavras quando escrevo
perder-me-ia, de qualquer maneira.
Se pensarmos bem
tudo pode ser perda
e calar, não desabafar, é muito mais.
Escrevo, porque sinto falta e preciso
e escrever é uma dependência, uma droga
da qual não me abstenho
sem a qual não posso passar
e é nela que sobrevivo, existo e que vivo.

É o meu veneno fundamental e essencial
composto por alentos e desalentos
enfim, sentimentos
que vou buscar aos guetos da vida
retendo-os na imaginação saturada
para os deixar depois escorrer pelos dedos
já sem segredos. Não quero o silêncio.
Que o meu coração jamais se cale
e aquilo que não me atrevo a afirmar
seja ele que o diga, se pronuncie e que fale.

Peço-lhe que o faça de forma precisa e clara
sem rodeios, sem ambiguidades
e pode até melindrar
não importa. Quero só a verdade
a frontalidade, que sei não ter perdido
a clarividência da minha voz
o comportamento do meu olhar
o porte dos meus sentidos
e sobretudo que as suas palavras
sejam rio desabrido
que com alegria corre para a foz
tendo a sensação plena do dever cumprido.


CÉU

52 comentários:

  1. Um veneno muito saudável, muito agradável, para ser partilhado com outros.
    Boa semana

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso!!!!!!!!!Ótima semana!!!!!!!!!! Beijos

    ResponderEliminar
  3. Bom dia
    Um belo texto em forma de desabafo/recado/mágoa...sei lá, mas parece. O que gostei de ler, ficando a reflectir sobre o mesmo.
    Beijo e um dia feliz
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    Feliz Natal.

    Adoro a musica um "relaxante para a mente e corpo"

    ResponderEliminar
  4. Também sou um dependente da escrita. E desse veneno não quero me livrar!

    Beijos.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Oi, Céu!
    Que você continue mais que viciada nesse doce veneno, do qual já não consigo me abster também!
    O meu desejo é que você nos embriague sempre com seus lindos textos e que tenha um FELIZ NATAL e um ANO NOVO repleto de energia, amor e felicidade!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  6. Parte 1
    Querida Céu,
    Ao longo da vida já recebi presentes que me chegavam de tal forma que o coração se transformava numa imensidão de mar de tantas lágrimas vertidas, tal a emoção com que os recebia. Mas foram raros os momentos em que um presente me “tirou do chão” e me elevou aos céus. Senti como se acomodada estivesse em macias nuvens e pelo caminho fui lembrando da doçura das tuas palavras. Ao chegar àquele lugar quentinho, aconchegante, deparei-me contigo a estender-me os braços ofertando algo tão precioso que reluzia como delicado diamante. Estávamos nós duas ali, no imenso coração do Pai, como uma dádiva que Ele nos houvesse ofertado, pois somente ali, no Seu bondoso coração tal presente poderia ser recebido, pois somente Ele poderia saber da importância do teu mimo para mim, tendo feito questão de nele acrescentar as suas preciosas bênçãos. E foi lá, menina linda, naquele lugarzinho de paz e muito amor que o teu presente me foi dado, cuidadosamente depositado no meu coração, por ti, que já conhece tão bem o caminho que conduz ao Pai, e por Ele, que sabe que tu não é apenas uma eventual hóspede, mas uma moradora constante daquele lugar cuja chave só é dada para aqueles por Ele escolhidos.
    continua...

    ResponderEliminar
  7. Parte 2
    Ah, minha doce amiga, para muito além das homenagens prestadas pelos amigos, familiares e colegas, para muito além dos maravilhosos mimos recebidos, chegou-me o teu PRECIOSO PRESENTE naquela “carta” que levei tempos para ler, porque a todo momento a visão turvava... E mais ainda turvada ficou ao final, quando pude ouvir nitidamente a voz do Pai em uníssono com a tua, a desejar-me um Feliz Aniversário.
    Momento mágico, meu anjo, tão mágico que custei a descer do Céu para a Terra, tão enlevada estava com a doçura de tão bela mensagem.
    Tu soubeste, Céu, como ninguém, dizer-me, escrever-me, um texto “completamente diferente de todos os que foram escritos por ti, um texto surreal, lindo, prosa ou poesia,
    sem mácula, com enorme dedicação, sinceridade, pureza, vontade, sem rasuras
    com as melhores, as mais expressivas, as mais sentidas, as mais completas palavras” que conseguiste “catar, procurar, encontrar, prender, suster” e depois me entregaste, sabendo que o meu pequeno coração ficaria bastante “contente, pulsando, pulando
    como um menino ao receber o seu primeiro presente, que há tanto andava desejando”.
    Tu conseguiste sim, menina linda, encher meu coração de “flores de todas as cores,
    de estrelas acabadinhas de saltar do céu, de sorrisos abertos, aliviados e escancarados
    de palavras bem simples, mas inteiras, tais como felicidade, alegria, AMOR e bondade” mesmo achando que estava difícil, que a tua imaginação parecia atrapalhada, porque não conseguias encontrar as palavras que julgavas serem do meu nível de valor e merecimento. Estas palavras nunca seriam encontradas por ti, amiga, porque elas não existem a este nível... Mas soubeste me dizer justamente as palavras que couberam direitinho no meu entendimento e aquelas que se acomodariam certinho no meu prazer.
    Nem precisaste colocar dentro do meu blog que é simplesmente um blog... todos aqueles que me seguem, porque soubeste bem dar esta festa de arromba de que falaste e, acredite, toda a terra ficou menos poluída e mais colorida não por minha causa que me considero um ser “normal”, mas por tua causa, minha linda, por seres sim, esta pessoa tão especial, mais tão especial, que acha que todo mundo possui a mesma excelsitude que tu.
    Ah, doce menina, pessoas como tu não conseguem encontrar prendas em lojas, nem gostar de dizeres gastos e comuns dos cartões de felicitações, justamente porque pessoas assim, originais, geniais, e de imaginação tão fértil, só se conseguem ver entregando um mimo de grande valor sentimental, pois a eles é que são dados os devidos créditos por serem justamente o que de mais puro, sagrado e precioso tu tens, e por ser um bocado, um todo de ti. E foi assim que o teu presente me chegou, de forma abençoada. E é lá, naquele lugarzinho do coração onde guardo os mimos que me são mais preciosos, que o teu presente está, meu anjo!
    Céu, todos os votos que enviaste depois também estão acomodados na minha alma depois de encantar os meus olhos que, por tua causa, ficaram marejados por muito tempo... Retribuo com imenso carinho e sinceridade uma das tuas frases que muito me tocou. Não por encontrar nela um eco de verdade a meu respeito, mas por que através dela eu posso expressar tudo que sempre senti a teu respeito: se tu, se gente como tu não existisse, com certeza eu sentiria um vazio difícil de preencher.
    Não digo isto apenas por dizer, por querer que meu agradecimento por tua extrema generosidade te chegue de forma tocante, mas sim, porque sinto/pressinto que tu és um Anjo de Deus que aqui desceu em forma de gente justamente para fazer a obra do Pai
    em silêncio.
    continua...

    ResponderEliminar
  8. Parte Final
    Não fique pensando que só tu tem o privilégio de ser íntima do Pai, pois perguntei pra Ele, assim como quem não quer nada, se tu eras mesmo o que eu pensava que fosse e Ele, todo vaidoso (porque não lhe atribuir pelo menos um pecadinho?) fez um sinal de okay! Por isto já dá para ver que não vai adiantar nada refutar esta afirmação. Acredito muito na palavra de quem te conhece bem, menina! (risos).
    Deixar-te sorrisos (agora que os tenho tanto no coração) parece-me pouco... Cobrir de estrelas o teu caminho? Ah, menina, quer saber de uma coisa, quem tem o Céu no nome não precisa destes mimos não, pois seria como “chover no molhado” como dizemos por aqui. Portanto, receba apenas o meu carinho, um tanto assim, ou melhor, um TANTÃO assim, de uma sensibilizada Helena... ou melhor,
    Leninha
    Ah, que feio, até esqueci de comentar o poema... Volto depois para fazê-lo, ok? E desculpe o alongado comentário que não foi possível publicar de uma só vez. Mania de quem escreve muito... Conheces alguém assim? (risos)

    ResponderEliminar
  9. Olá Céu!
    Escrever é um vicio bom e necessário para dizer o que vai na alma. Algumas pessoas têm mais facilidade em expressar-se na escrita do que através de palavras e por isso, esse vicio não pode deixar de existir nunca.
    Escrever é um exercício que devia ser mais valorizado e incentivado desde cedo!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Bom dia, devemos de fazer o que nos faz sentir bem, quando o fazemos, sentimos-nos mais livres, consolidamos a nossa e muita nossa personalidade, o nosso ser.
    Se eu tivesse a facilidade de me expressar magnificamente pela escrita como a Céu tem, também o fazia.
    Receba um abraço Algarvio e sinta a diferença.
    AG

    ResponderEliminar
  11. Olá, CÉU.

    Muito bom! Diferente do seu estilo costumeiro. Mas, o veneno e o antídoto se confundem nas duas possíveis faces de uma só moeda. O resultado depende da dose, do uso e eventuais abusos. Contudo, não é aconselhável deter, conter a palavra que pulsa, escrever é o verter do sentir e pensar que nos faz ímpares, singulares, indivíduos irremediavelmente sociais, com voz pensante e relevante dizer. Calar a fala ou a escrita, é envenenar-se com um silêncio estéril e esterilizante que corrói a alma, devorando a liberdade de ser, de se manifestar naquilo que nos exterioriza, explicita e revela.

    Um abração.

    ResponderEliminar
  12. Que lindo,Céu!
    Que pessoa privilegiada vc é por ter o dom das palavras!
    bjs

    ResponderEliminar
  13. Céu,adoro ler o que você escreve com muita propriedade e sentimento da sua alma.
    Suas palavras,não são venenosas e sim palavras de uma pessoa que tem o livre arbítrio em
    dizer o que sente,por isso vemos o sucesso que é seu blog.
    Continue escrevendo muito,para que possamos nos deleitar com suas escritas.
    Bjs,obrigada pela visita e um ótimo dia.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  14. Ainda bem que a minha amiga se perde nas palavras pois assim dá-nos a alegria de ler estes belos poemas.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
  15. Assim é, Céu: muitas são as vezes em que nos perdemos nas palavras. Mas é preciso que percorramos todos esses labirintos, para que possamos dar voz aos nossos sentimentos; o que fazes muito bem, aliás, diga-se de passagem! :) Bom resto de semana, amiga; fica bem.

    ResponderEliminar
  16. Não será a maneira mais própria de começar mas, não podia deixar, em branco a bela mensagem da Helena, mulher muito querida e especial e que nos sabe dizer, como ninguém, o que precisamos.
    O poema, cara Céu, conseguiu levar de verdade ao céu.
    É lindo, tem tudo o que um poema precisa para chegar bem fundo.
    Que as minhas palavras sejam, então, esse rio que alimenta toda a sua verve e talento, todo essa magnifico dom de nos levar, na correnteza, sem o perigo de nos afogar.
    Magnifico!

    ResponderEliminar
  17. Há casos em que a escrita e a leitura agem como se fossem drogas e tornam a pessoa dependente. Drogas que, eu, particularmente, tenho o maior prazer de consumi-las, tornando-as alimentos indispensáveis à minha sobrevivência. Belo poema amiga, um pouco diferente do habitual, mas muito belo.

    Beijos,

    Furtado.

    ResponderEliminar
  18. Mi querida amiga CEU, eres alguien muy especial y ,si escribir es una Adiccion, en tu caso es de las buenas , pues escribes como un ángel.

    Abrazo grande.

    ResponderEliminar
  19. SIEMPRE ME DEJAS UN SABOR DE ILUSIÓN CON TUS PENSAMIENTOS.
    ABRAZOS

    ResponderEliminar
  20. No te pierdes.
    Todo lo contrario.
    Te encuentras con tu corazón.

    ResponderEliminar
  21. uma descida ao purgatório, Céu?

    muito bem. isso "humaniza" e a Poesia só tem a ganhar...

    gostei muito.

    beijo

    ResponderEliminar
  22. Tu amor por la poesia,acompañada por tu juventud,te hace la vida más placendera
    Un fuerte abrazo

    ResponderEliminar
  23. Escribes muy bien . Y es muy bonito leerte

    Mis mejores deseos para tí.

    Un beso

    ResponderEliminar
  24. oh Céu gosto muito do teu compromisso
    que não mudes nesse caminho que te indica a verdade ou seja a voz da liberdade de poder expressar o que se sente e se adivinha na linguagem dos afetos
    beijocas amiga
    Angela

    ResponderEliminar
  25. Minha linda, não tivesses tu o "vício" de escrever, como iríamos conhecer este pedacinho (tão grande!) de Céu que nos chega como um verdadeiro paraíso? Ainda bem que tens a dependência da escrita... E olha, amiga, que a palavra seja sempre o baluarte para que teus sentimentos e emoções ganhem contornos, cresçam, escorram pelos teus dedos dando forma, dando vida, a um silêncio que apenas pousou por momentos na tua imaginação, como um pássaro que interrompe o voo e se aquieta por instantes num dos galhos mais altos de uma árvore para de lá divisar o horizonte para onde deseja abrir suas asas... E quando o faz, que beleza de voo, dá gosto vê-lo nas alturas planando com a majestade que só possui quem usa asas confeccionadas no reino encantado da poesia... Assim és tu, Céu, nos teus momentos de criação, como um pássaro altaneiro que visa sempre o horizonte mais belo! Sei que te inquietas quando em pouso forçado para saber que rumo tomar... As palavras se atropelam, as imagens se criam e se desmontam, e somente ao encontrar a verdadeira árvore da imaginação, consegues pousar... Ah, amiga, e quando teu olhar encontra o rumo certo, as tuas mãos se agitam, teus dedos se inquietam e tu abres as asas sabendo qual horizonte queres encontrar. E as palavras saltam do teu voo original, e tua imaginação espalha palavras pelas asas e elas criam símbolos, imagens, versos, metáforas, num emaranhado que à medida que se desenvolve vai compondo um texto de indescritível originalidade, aquele texto que nos chega pleno de significados, que ao mesmo tempo em que nos parece simples em sua beleza vai se tornando complexo ao se nos infiltrar pelos olhos para desencravar nos nossos sentidos uma percepção única e assim nos identificar com os sentires que de forma tão escancarada tu vens nos mostrar. E te digo, amiga, sem nenhuma peja nem arrependimento que não há como fugir do olhar perscrutador que tua escrita contém, das vísceras que nos são apresentadas, das entranhas à mostra, pois não dá mais tempo de cobrir os olhos, erguer a mão em sinal de defesa, impulsionar os pés para fugir do “local do crime”, pois eu já estou ali, subjugada, sorvendo o ar que “impregnaste” com o teu veneno, deixando que a tua droga me escorra pelo sangue sem ter por onde escapar, aprisionado que está dentro de mim de forma irremediável... Sem nenhum antídoto que possa neutralizar a tua droga dentro de mim (e já confessando que mataria a quem tivesse a ousadia de criar tal medicamento, rs), só me resta te dizer, minha linda amiga, que tenho certeza de que o teu coração jamais se calará, e que aquilo que não te atreveres a afirmar, o teu coração dirá, explicará e falará, assim como também sei que ele o fará de forma precisa e clara, sem rodeios, sem ambigüidades, e há até de melindrar se preciso for, mas as suas palavras serão como um rio impetuoso que com alegria correrá para a foz com o sentido do dever cumprido.
    Que assim seja!

    ResponderEliminar
  26. Por aqui escreve-se muito bem!

    Isabel Sá
    http://brihos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  27. Que texto mais lindo, lindos versos. ^^
    Me fez lembrar do meu antigo amor e do quanto ainda eu as vezes escrevo para mim mesma sobre as coisas que vivemos, etc.
    É tenso, mas é o sentimento que ainda não morreu em mim...
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderEliminar
  28. Escrever pode ser tudo.
    Desde uma catarse até um acto formal, passando pela extrema necessidade de o fazer, seja lá qual for o motivo.
    Mas o importante, tal como expressas neste excelente texto, é deixar o coração falar, num gesto de liberdade (o mais possível).
    Céu, minha querida amiga, tem um bom resto de semana.
    E um NATAL MUITO FELIZ, extensivo aos que te são mais queridos.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  29. E é tão bom quando as palavras perdem as fronteiras e o coração fala sincera e intensamente como aqui se lê. Gostei imenso.
    Céu, um feliz Natal. Beijinhos

    ResponderEliminar
  30. Olá Céu, voltei!
    Andei meia desaparecida, mas nada que tivesse a ver com excesso de Doce de Castanha :) (esse também já desapareceu...).
    Espero bem que o teu coração nunca se cale e que as tuas palavras continuem a escorrer por estes poemas tão belos e tão verdadeiros. Gosto de identificar as diversas emoções que neles se encontram, normalmente sempre tão resguardadas pelas pessoas. Mas não por ti, e isso é uma das coisas que gosto bastante nos teus textos: a capacidade de retratar com exatidão e sem filtros todas as nuances do amor e da paixão.
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  31. Existem 'venenos' para os quais espero nunca existir antídoto. Gosto de ser 'picado' e sentir aquele veneno percorrendo minhas veias, meus sentidos... até me torturar por completo e deixar-me sem forças para me mexer... só o coração a bater o necessário, com frontalidade.

    ;)
    A minha amiga já sabe que sou um brincalhão :)

    Beijinho e tudo de bom.

    ResponderEliminar
  32. Belos fingidores

    artesãos de metáforas

    Bj

    ResponderEliminar
  33. "...[Não quero o silêncio.
    Que o meu coração jamais se cale
    e aquilo que não me atrevo a afirmar
    seja ele que o diga, explique e que fale.]"
    O silêncio, se forçado, mata a Alma. O Céu não pode ter limites. A Alma pode pairar no espaço, mas o seu destino é a verdade.
    Sublime explanação poética, Querida Céu.

    Beijo
    SOL

    ResponderEliminar
  34. O pastor solitário, sugestivo título para essa bela canção que acompanha seu formidável poema...pode ser uma boa alcunha para um poeta, que pastoreia pensamentos e sentimentos, pois é preciso ser um tanto solitária a alma do poeta, para ter o ensejo de ler-se, conhecer-se, escutar os murmúrios e gritos de seu coração. Compreendo seu vício, pois sou dele culpada também. O papel, ou o computador, aceitam tudo, com certeza...e depois, temos a comodidade de apagar o que ficou menos bom, e nisso refletimos e acabamos por nos conhecer melhor: pois podemos nos definir, também, por aquilo que preferimos não mostrar ou dizer.
    É bravia a sua sinceridade! Corajosa e digna das almas retas, que iluminam seu interior e nada deixam na sombra, pois é na sombra que se escondem os fantasmas que podem perseguir alguém uma vida inteira, até que se descubra que nada mais eram do que as teias fiadas pelas aranhas do medo.
    Temos muitas coisas a nos tolher em nossas vidas...façamos, então, de nossa escrita o campo sagrado de nossa liberdade de sermos o que somos, ou o que desejamos ser!
    Um abraço com muito carinho, e desejos de muita alegria em mais este aniversário de nosso querido Menino Deus.
    Bíndi e Ghost

    ResponderEliminar
  35. Que este 2015 haya sido lleno de buenos momentos, hermosas noticias y energía renovada, llegamos al final de un año que siempre nos indica un nuevo comienzo, nuevos sueños a realizar, nuevas personas para conocer, momentos hermosos que nos esperan, no hay nada mejor que un mensaje lleno de buenos deseos para esta navidad y mucha energía positiva para comenzar un Año Nuevo
    Felicidades!!!

    ResponderEliminar
  36. ✿゚ه
    Passei para uma visita.
    Escrever para que tem esse dom na alma, como você tem, é uma virtude.
    É simplesmente mágico poder expressar tantos sentimentos, tantas vivências, tristezas e alegrias.
    Tudo em sua poesia é emoção!

    Bom fim de semana com tudo de bom!
    Beijinhos.
    ✿✿˚ه° ·.

    ResponderEliminar
  37. ¡Hola CÉU!

    Hoy más que nunca, me encanta lo que has plasmado, ésa devoción divina por la escritura;y es que lo haces a las mil maravillas. Es un precioso poema y te felicito.

    Sabes que estoy de descanso y no ando por los blogs, pero quiero agradecer tu paso por mi casa". Es un honor a para mí.

    Te dejo un abrazo grande y muy felices fiestas. Que en año nuevo te sea muy propicio. Suerte mucha suerte.

    Hasta enero si Dios quiere. Besiños muchos, wapa.

    ResponderEliminar
  38. Del poder de esa droga que hablas, de esa dependencia, yo sé mucho y te comprendo perfectamente.
    ¿Qué sería de mi vida si no me decidiese a escribir?
    Sumida en la tristeza y la añoranza,pasé meses, quizás años, pero un día... mis nietos me abrieron un blog y me dijeron: Abuela, escribe.
    Ya he perdido la cuenta de los años que llevo escribiéndole a mi madre, en sus cartas he volcado los sentimientos que oprimían mi corazón y ha sido mi mejor terapia.
    Con todo lo que te digo, comprenderás que de sobras sé lo que es el escribir.
    Tú lo haces muy bien y sabes llegar a nuestros corazones con tus letras.
    Aprovecho para desearte una muy FELIZ NAVIDAD en compañía de tu familia y amigos.
    Que el próximo 2016 te colme de felicidad, paz y amor.
    Cariños en abrazos.
    kasioles

    ResponderEliminar
  39. Oi Céu!Gostaria de ter esta vontade de escrever...que em você é tão natural.Você escreve muito bem.Mas o silêncio é necessário de vez em quando,não acha?Belo texto!Boas festas!Beijos nas bochechas!

    ResponderEliminar
  40. Um doce veneno compartilhável! Encontre-se sempre, não se perca de si mesma.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  41. Olá Céu
    A tua escrita jamais poderia levar este título
    Ela é clara, objetiva, vivaz, em ambivalências
    Tens o dom da tessitura escrita e da retórica.
    E o teu exímio poema é a confirmação da tua arte no palavrear
    Obrigada por sua doce companhia e que nos próximos 365 dias haja novos encontros que nos permitam intensificar os elos de carinho e terna amizade
    Desejo que a caixa de presente que você receber venha cheiinha de
    ternura, compreensão, bondade, esperança, fé, perdão, paz e muito amor
    Um natal feliz e um ano novo pleno de êxitos
    Beijokas perfumadas

    ResponderEliminar
  42. O que lhe sai da alma não é veneno, é poesia !
    Desejo-lhe um Feliz Natal junto de quem ama!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  43. Olá amiga, td bem? Como vc está?

    Aqui em São Paulo faz bastante calor, às vezes quase insuportável e também anda caindo tempestades intensas depois do forte calor. Estamos no verão e este promete ser realmente quente.

    Amiga, eu adorei a sua poesia, acho que mudar a temática é sempre importante e dá frescor em nossos textos. Eu costumo escrever sobre diversos assuntos como política, amor, comportamentos, etc. Tem tanta coisa para ser escrita, para ser discutida e pra mim escrever é uma válvula de escape. Muitas vezes acho que escrevo melhor do que falo, isso é de certa forma engraçado. Acho que quando escrevemos a nossa imaginação voa muito mais alto e falando temos que ser mais comedidos, talvez seja essa a explicação.

    Ah, não posso me esquecer de te falar, no dia 17/12 eu fiz aniversário, completei meus 41 anos de vida e de maneira nenhuma me sinto velho, acho que se mantermos o nosso espírito jovem sempre teremos a vitalidade pra encarar o passar dos anos.

    Amiga, com certeza a gente se fala antes do Natal. Te desejo uma semana maravilhosa!

    Beijos!

    ResponderEliminar
  44. Bom dia Céu.
    Veneno.De forma alguma.A sua escrita e antídoto contra tantos venenos que não faz ideia.Você é uma pessoa especial que admiro muito. Um lindo Natal .Beijos.

    ResponderEliminar
  45. Afinal... só hoje consegui passar por aqui, Céu... e ficar deliciada, com tudo o que vi!!!!
    O blogue está lindo, de morrer!!!!! E se o talento é veneno... pois que se morra nele... pois será uma morte muito salutar...
    Mas tudo por aqui... diz vida... e paixão!
    Adorei o poema, Céu! Está no meu top, por aqui! Gostei do desabafo sincero, intimista, e tocante... uma pura carícia, para quem o lê...
    Acho que já li algures... que ainda haverá mais um post, antes do Natal, por aqui... tentarei vir espreitá-lo... apesar dos próximos dias, serem muito ocupados, e incertos... pelo que aproveito, desde já... e para não falhar... para lhe desejar um Feliz Natal, na companhia de quem mais goste... familiares, amigos, recordações... Whatever!... Mas que seja um Natal, pleno de afectos, saúde e paz!
    De qualquer forma... sempre que der, virei dar uma espreitadela, por aqui.
    Pela minha parte, só publicarei novamente, depois do Natal... o mundo off line, exige a minha presença, por estes dias... ;-D
    Beijinhos, Céu!
    Uma feliz semana, e Bom Natal!
    Ana

    ResponderEliminar
  46. Escrever é o nosso alimento. É o que nos coloca de pé neste mundo cada vez mais sem palavras.

    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  47. Com este ambiente acolhedor o "Ausente do Céu" faz-me sentir bem perto do Céu. E no embalo das suas palavras vejo que não haverá melhor dependência do que a de escrever e muito e muito bem, como a minha querida amiga faz.
    Poderá ser um veneno que se estirpa, ao declarar o que vai na alma, deixando o coração lavado e limpo, pronto para todos as empreendimentos que se apresentarem.
    A vida é um livro que se vai abrindo à medida que avançamos, dá-nos lições que aprenderemos conforme a nossa capacidade de apreensão dos factos e dos sentimentos. Aprender nos guetos da vida em que teremos de dar muito de nós, recebendo dos outros amor ou desamor, requer uma grande entrega.
    No desabafo sentiremos, realmente, aquele lenitivo necessário para podermos continuar a nossa longa caminhada. Para uns será escrever, para outros será pintar, esculpir ou outras formas de arte ou tão-só ler um bom livro ou aquilo de que gostarmos, em que se entra na pele dos personagens e poderemos ver neles tantas das nossas aspirações e ambições, porque isso de ambições, quem as não tem?, é uma coisa boa, se bem doseada. Aliás, uma vida sem ambições torna-se amorfa. Poderá ser "apenas" um desejo pequenino, que para outros não terá importância mas, mas para aquele que por ele anseia será uma grande realização.
    Aqui, reconheço essa grande competência na escrita e é, sem dúvida alguma, uma forma bela e excelente de transmitir aos outros aquilo que pensamos, que sentimos, para além do bem-estar que nos poderá proporcionar.

    Minha amiga, bem haja.

    Desejo-lhe um Bom Natal e tudo de bom.

    Beijinhos.

    Olinda


    ResponderEliminar
  48. Olá minha linda e doce, CÉU!
    Que ambiente acolhedor e belo, para nos mostrar apenas sua mão, que lindamente escreve seus textos cheios de imaginação.
    Cada vez mais cativante, tens o dom e a sensibilidade apurados, para transformar alentos e sentimentos, dos guetos, nas mais lindas e ousadas poesias.
    Além da facilidade da escrita, tua alma não é travada, é livre para criar verdadeiros hinos ao amor, como uma linda mulher. Ainda bem que não fostes podada, nem deves te calar, pois falas por nós, que nos cobrimos de regras e pudores, pelos sentimentos que engolimos, pelas palavras que nem pensamos, de tanto que nos calamos.
    Tens uma enorme capacidade de observar, sentir e captar as dores alheias.
    O que colocas para fora, através de seus poemas, deixou de ser veneno em ti, faz-nos refletir! Oferece-nos o antídoto!
    Agradeço pela partilha e o carinho da tua presença que muito agrada ao meu coração.
    Agradeço, minha doce menina, desejando que Deus abençoe a ti e aos teus mais queridos, com um Natal de muita paz, amor e sucesso
    abraços carinhosos
    Maria Teresa


    ResponderEliminar
  49. olá Céu, noite de inverno sem estrelas, mas não é que os teus poemas nos iluminam para chegarmos a um consenso entre a verdade e a frontalidade e talvez a provocação sem dar satisfação?! olha também te felicito pela ilustração que primeiro se apresenta e promete quadras natalícias de elevado valor acrescentado :)
    espero que estejas bem, desejo-te as maiores felicidades, um Natal Feliz, poemas sempre lindíssimos também em 2016 :)

    a amiga
    Angela

    ResponderEliminar
  50. Gostei muito do teu post.

    Um feliz Natal com paz, harmonia e muita saúde

    Bjgrande do Lago

    ResponderEliminar
  51. Olá Céu então... passando de forma precisa e clara
    sem rodeios e sem ambiguidade kkk te desejar boas festas para ti
    e para os teus.
    Bom... o veneno; as vezes há muitas faces kkk. Pode ser divertimento e tormento.
    Palavras e venenos são bons alentos; cada um tem o seu kkk.
    Abraços e até o ano que vem .

    ResponderEliminar
  52. Ceu meu amor, eu também gosto tanto de escrever. Como eu gosto! Mas também gosto de ler ou ouvir.
    Sim, o coração fala por nós, através dele, sentimos, que é mais que ver. Sentir é o sentido do momento, quero dizer, da atualidade.
    Um beijo querida.

    ResponderEliminar

O MUNDO PASSA POR AQUI