EU, "CÉU"!

EU, "CÉU"!

terça-feira, 21 de março de 2017

O POETA

COMEMORA-SE, HOJE, 21 DE MARÇO, O DIA MUNDIAL DA POESIA!


O poeta gera e pare sonhos e fantasias, conta histórias
e vive memórias, incrível, que nem dele são
que se farão imaginação, demência ou verdade
vivendo dores pungentes e prantos alheios
trazendo, ao de cima, neste enleio e neste meio
um amor martírio, muita desilusão e mais as saudades.
 
E como se isso não bastasse, como se não fosse pouco
busca, indomável, nos sonhos dele, um rosto
que jamais encontrará, mas, só ele não vê isso
porque tem um pouco, um muito de louco
continuando, afincadamente, buscando, procurando
o que nunca perdeu, e que, paradoxalmente, não é seu.

Encontra o fim do arco-íris e junta-lhe ainda mais cores
achando tesouros de piratas e chaves de baús
que dá aos corações desafortunados e desalojados
descurando o dele, que do mesmo mal sofre
mas os sonhos, que trilha, mais vastos que a morte
oferecem-lhe horizontes irresistíveis, que o fazem delirar.

O poeta não possui calendário, passado, presente, futuro
nem relógios que o compreendam ou aceitem
que o façam parar ou avançar. O tempo é casmurro
porém, ele vive em muitas épocas e lugares
e em tantos cantadores e trovadores, mas em tantos
que entoam e tocam versos a mais, ao som de liras irreais.

Dão festas mentais, repletas de sensualidade e erotismo
e em cada momento que faz nascer poesia
o poeta renasce e perde a alma para ser de outro
antes, de muitas almas penadas e cansadas
que se vão perdendo numa boca surda e carnuda
e nuns lábios de mosto, ali à mão de semear, fogo posto.

Perde-se olhando uns olhos pacatos, arrasadores, de gato
acha-se com aquele marialva de viela e ruela
que fugiu da legítima, para uma saborosa escapadela
no quarto mais reles, que já excitado encontrou
onde o poeta tem tantos rostos, gostos, contragostos
que se pararmos, para lhe escutarmos o peito
ouviremos trombetas e clarins, entoando, exaltando
de batida diferente, insensata, descoordenada e incoerente.

Tanto novo, quanto velho, o poeta nunca morre, é eterno
e nos anos e séculos que se seguem, é gente
que vos pede, encarecido, que não desconfieis dele
porque pode engendrar e criar mil e um versos
arrebatadores, acerca de histórias de bizarros amores
que caso não pareça que é ele, ele é aquilo que não parece.

Porém, se ele parecer insensato, inominável, algo abstrato
não o culpem dos desenganos e desencantos
dos planos, por água abaixo, destronados, arrasados
porque a culpa é dos desencontros, que gritam
dos olhos desiludidos, exaustos, desbotados, perdidos
que guardam as desventuras dos poetas, que nele habitam.


CÉU


(VÍDEO, EM BAIXO)


27 comentários:

  1. Querida amiga Céu
    Começo com aplausos por este poema belíssimo que você brilhante escreveu com maestria para saudar o Dia Mundia da Poesia e os seus astros de primeira grandeza... poetas, poetisas, prosadores e trovadores.
    A música é soberba e fez um lindo dueto com o belíssimo poetar
    E completando esta maravilhosa festa... você amiga abrindo a página com seu olhar cativante
    Parabéns amiga!!! Numa palavra te digo... Teu poema é MAGISTRAL
    Beijos iluminados pelas estrelas e muitos sorrisos

    ResponderEliminar
  2. Amiga Céu
    Amei a sua foto na abertura do blog, a música excepcional e todas as mudanças por aqui
    Ficou show minha querida.
    Beijos enfeitados de luar

    ResponderEliminar
  3. Olá, Céu!

    Este seu poema , soube-me a néctar adulterado.Vinagre, outrora tinto do bom.
    Ser poeta é,
    nunca se conformar
    rir quando deveria chorar
    sofrer e amar
    até morrer
    é, podes crer
    uma resma de sonhos
    ambulantes,
    um perder e encontrar-se
    sem recurso a gps
    no jardim da Celeste
    Na sombra ou ao sol
    Tomar (tomando)
    em doses generosas
    a luz que emana
    dentro de nós
    pois, só assim, não ficaremos sós.
    Na brisa ou no orvalho
    estaremos aptos
    a quebrar o galho.

    Revi-me no seu poema
    vamos lá saber
    porquê?!

    beijo

    ResponderEliminar
  4. A minha homenagem aos poetas, hoje e sempre, na poesia de Florbela Espanca e na forma como explica o que é ser poeta.
    Beijos

    ResponderEliminar
  5. ¿Y esa preciosa chica de ojos grandes que nos mira observadora y soñadora?
    Yo presiento que es un cielo que ha bajado a vernos en el día de la poesía.
    Alguien le dice que la ama, que no sabe por qué, pero que algo irresistible le atrae y no hay razón que lo explique.
    Algo así nos pasa a todos tus lectores, en mi caso lo hago con un cariño de madre o de hermana, lo hago porque, a través de tus letras y comentarios, transmites sentimientos que salen de un gran corazón y eso, para mí, es lo que cuenta y lo más importante.
    En cuanto a tu poema, entiendo que el verdadero poeta puede desdoblarse y ser varias personas según su estado de ánimo, puede escribir siendo otro, puede soñar despierto y hacer que sus sueños nos parezcan reales, los poetas enamoran y sus letras puede que no lleven corazón o por el contrario que se vuelquen para transmitir todo el amor de un corazón que ama, sueña, ansía, busca y no se atreve a decir con palabras todo lo que es capaz de plasmar en letras.
    Aunque me gusta tu poesía, yo sería incapaz de poder desdoblarme, mis letras llevan una única dirección, los amores de mi vida, no me pidas más, no sabría escribir, he de reconocer que yo no aspiro a ser poeta.
    De todas formas, te admiro, eres tierna, sensible, creyente, ilusionada y, la mayoría de las veces, te destapas siendo un maravilloso volcán que lo arrasa todo y llegas al alma de todo aquél que te lee ¡eres poeta!
    En tu día, quiero dejarte un abrazo muy especial.
    Kasioles

    ResponderEliminar
  6. Belíssima poesia e linda homenagem! Parabéns pelo teu dia! bjs, chica

    ResponderEliminar
  7. Céu, minha amiga, uma bonita homenagem aos poetas, com as inúmeras facetas do seu poder criativo e do modo como redimensiona a vida. Porque como disse Miguel Torga: "O Poeta não é uma abstracção. É um ser real que existe no real. Por isso não poderá evadir-se da vida que o marca e é marcado por ela".
    Um bom dia poético.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  8. Excelente poema Céu. Num registo diferente do que nos tem habituado, mas igualmente muito bom, o que vale por dizer que é a minha amiga uma excelente poeta.
    Um abraço e feliz dia da Poesia.

    ResponderEliminar
  9. MAGNÍFICO TEXTO !!!!

    Abraço, minha estimada Céu, com votos de que a Poesia sempre a acompanhe desta maneira tão bela

    ResponderEliminar
  10. Admiro a los poetas. Es maravilloso poder expresar sentimientos a través de la poesía.

    Y escribir tan bello como lo haces tu.
    Muchas gracias y un beso grande.

    ResponderEliminar
  11. Hola te escribo y te felicito este dia especial de la pesia
    besos

    ResponderEliminar
  12. UFFFFFF TEXTO Y VÍDEO MUY GENIAL!!!!!
    ABRAZOS

    ResponderEliminar
  13. Um poema fantástico em homenagem a todos os tipos de Poetas e Poetizas, mesmo a quem escreve em prosa. Todos estes têm a possibilidade de escrever estados de alma (por vezes verdadeiras) ou não. Pronto falei tanto e nada disse.

    Feliz dia para todos os Poetas e Poetizas.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. Hoje sou a primeira a comentar. Mais um belo poema, neste dia da poesia. Nunca deixe de parir e gerar sonhos e fantasias e de contar histórias... É bom lê-la. Uma pausa de qualidade ao final da tarde.

    Parabéns pelo poema e parabéns à poetisa.

    Nota: realmente os seus olhos são incríveis: uma janela para um mundo misterioso de palavras belas, que nós, as restantes mortais, não sabemos combinar da mesma maneira para operar essa sua magia.

    Beijinhos

    Isabel Gomes

    ResponderEliminar
  15. O texto é muito belo, Céu; define realmente o poeta, as suas inquietações e os seus sonhos; e a nova foto do cabeçalho ficou ótima! Mas isto não é novidade por aqui, amiga! :) Obrigado, boa semana.

    ResponderEliminar
  16. Bela homenagem! Como sempre, lindo o teu poema. Adorei, com ênfase para a estrofe abaixo:

    O poeta não possui calendário, passado, presente, futuro
    nem relógios que o compreendam ou aceitem
    que o façam parar ou avançar. O tempo é casmurro
    porém, ele vive em muitas épocas e lugares
    e em tantos cantadores e trovadores, mas em tantos
    que entoam e tocam versos a mais, ao som de liras irreais.

    Beijos,

    Furtado

    ResponderEliminar
  17. Boa tarde
    Que lindo amei o video. Que poema que declaração de amor mais linda que já ouvi.Se vc quiser parte dos amigos do facebook.https://www.facebook.com/brisa.petala

    ResponderEliminar
  18. Olá Céu!

    Bem que eu tinha estranhado o súbito desaparecimento do poema anterior. Não cheguei a vê-lo mas na minha lista de blogs aparecia lá o aviso de post novo. Chegava aqui e não havia nada. Ainda atualizei a pagina, voltei atrás, tentei mais tarde e nada. Pensei que se o problema não era do meu pc, só poderia ter sido daqui. Provavelmente teria sido uma recuada estratégica para mais tarde publicar...pensei eu. Ainda bem que tudo ficou resolvido et voilá! C'est ici!

    No dia do poema, temos a foto da poetisa. Trés bien!
    O poeta experimenta, inventa, sonha e transporta para o papel (ou para o teclado) tudo o que sente ou como diria o outro, finge sentir. O poeta tem tanto de são como de louco e viva essa loucura, saudável e necessária.

    Bisous

    ResponderEliminar
  19. Olá, Céu!
    Contente por vir ler-te e ouvir...lindo o poema. Gosto desse olhar do poeta, muito.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  20. Desde que te he puesto el comentario, estuve dándole vueltas en mi cabeza a este precioso poema que me sonaba pero no sabía localizarlo.
    Seguramente, esta noche mientras dormía, debí de seguir, sin darme cuenta, pensando sobre el poema y, ahora, nada más levantarme, no puedo por menos que felicitarte pues no has podido elegirlo mejor, es un verdadero homenaje al siempre recordado y querido poeta chileno PABLO NERUDA.
    Una vez más, tengo que darte las gracias por traer su poema a mi memoria.
    En su día y también en el tuyo porque, cada uno a su estilo, tú también eres poeta, dejo cariños para compartir, seguro que le llegarán a su lugar de descanso.
    Kasioles

    ResponderEliminar
  21. Sentado à sombra de uma árvore (que também é o 'seu' dia), o poeta leu, releu...e deixou-se cair num sonho, não desejando acordar.
    Tudo de bom!
    :)
    ;)

    ResponderEliminar
  22. Alma de um Poeta!
    Olhar a lua e dizer que é linda,com seu brilho prateado,reluzindo a íris de seres enamorados.
    A alma de um poeta,vai além da imaginação,tem a capacidade de adentrar até sem pedir licença,em um ardente coração.
    Essa é a alma de um poeta,que se manifesta sem alardes e sem festas...Simplesmente por ser "Alma de um Poeta".
    Parabéns Céu por palavras tão dignificantes a todos os poetas e poetisas.
    Adorei!
    Bjs com carinho
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  23. Que lindo Céu!!! amei...dia do poeta! Dia da Poeta!!! A grande poeta que aquece muitos corações, que acende muitas ideias nas cabecinhas que te leem...você é especial, tem um olhar especial, uma alma especial que nos faz emocionar com as palavras escritas que com certeza são buscadas no mais intimo do seu ser a fim de tocar no mais intimo em cada um de nós!!! grande bjucas amiga!

    ResponderEliminar
  24. Olá querida amiga Céu, como vai vc?

    Por aqui td razoável, vamos vivendo com as dificuldades que a vida nos apresenta, mas com a expectativa que dias melhores virão. Tenho muita fé no pensamento positivo e nas preces que sempre faço, td vai melhorar.

    Amiga, ontem eu atualizei o meu blog postando uma poesia que fiz logo após a perda do meu pai. Confesso que fiz em meio as lágrimas, mas ela saiu do meu coração e por isso resolvi homenagear meu pai na data de sua partida.

    Depois volto com mais calma para ler e comentar o seu poema! Fique bem e cuide-se.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  25. Qué bonito y cuánto sentimiento. Un beso

    ResponderEliminar
  26. Mi muy querida amiga CEU.

    Me encanta como escribes tejiendo tus ideas con el más fino de los bordados.

    Creo también que el poeta , y yo agegaria al escritor, no tiene horario, pasado, presente, y futuro
    o relojes que entiendan o acepten que se detienen o se van.

    Abrazo bien grande.

    ResponderEliminar