terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

PANDEMIA

 

APÓS TER FEITO PESQUISA DIVERSA, ESCREVI ESTE TEXTO, BASEADO EM IDEIAS DO PENSAMENTO BUDISTA, VISTO SER AQUELE QUE MAIS CORRESPONDE ÀQUILO QUE PENSO SOBRE A PANDEMIA.


Neste tempo de Pandemia do Coronavírus, em que foi dito e redito às pessoas para ficarem em casa para não espalharem ainda mais o vírus, muitas acham que falta tempo e outros que sobra. Reflitam! O tempo é o mesmo e nós somos o tempo e não existe uma coisa separada de nós chamada tempo. Quando as pessoas dizem:"- Ah! Não tenho tempo para fazer nada." Não é verdade. Nós é que estamos sobrecarregados de tarefas. Atualmente, temos muito mais acesso à informação e queremos estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Não conseguimos, pois não sabemos priorizar. Quem está a trabalhar em casa, teletrabalho, está a sentir mais dificuldade em organizar-se, porque para além das tarefas domésticas, há a solicitação das crianças e dos amigos, o que pode retirar um pouco a sua concentração.


Isso de faço o que quero, quando quero e com quem quero, sempre foi e será uma falsa sensação de liberdade, pois todos nós temos direitos e deveres. Seguir a quarentena deve ser visto como uma atitude para o seu próprio bem e o de milhares de pessoas, evitando que o vírus se propague. Então, se o momento é para ficar em casa, aproveite-o da forma que mais lhe agradar.


As pessoas estão a morrer diariamente e nós sabemos disso. Então, temos de nos preparar, porque amanhã podemos ser nós e asfixiados. É angustiante. Há um susto tremendo, há uma ansiedade, há medo (não é errado, não é feio sentir medo. É natural da nossa espécie), mas não chega a paranoia. Segundo os dicionários, paranoia é: " perturbação mental que se caracteriza pela tendência para a interpretação errónea da realidade em consequência da suscetibilidade aguda, do orgulho excessivo e/ou da desconfiança extrema do indivíduo que pode chegar até ao delírio persecutório" (esta definição vai direitinha para o professor e médico Jorge Torgal).


Buda já dizia há 2.600 anos que não havia nada seguro neste mundo. A vida sempre foi assim e é uma falsa sensação de que temos o controle de tudo. Não temos. Hoje temos emprego, amanhã poderemos perdê-lo, hoje somos saudáveis, amanhã poderemos ficar doentes. A nossa vida está sempre por um fio.


A Pandemia, um dia irá terminar, mas por enquanto estamos passando momentos de turbulência. E como passar por tudo isto de uma maneira melhor? Fazendo a nossa parte, cuidando-nos em todos os aspetos. A gente tem de perder a mania de querer achar sempre um culpado para dizer: "olha, se piorar, a culpa é dele(a). Agora, isso não pode existir, agora vamos inspirar coisas boas para nós e para o nosso coração. Preocupemo-nos em ajudar o outro, pois geralmente quem menos tem, é quem mais partilha. Não interessa o que pensamos ou quem somos, pois, agora, nós temos apenas uma necessidade: a vida. E a vida é maior que tudo isso. Temos de superar este tempo juntos e unindo forças.


Depois de tudo aquilo que estamos a passar e passaremos ainda, talvez haja uma transformação da sociedade depois da pandemia. Gostávamos todos que isso acontecesse, sem dúvida. Acho preocupante nos esquecermos de tudo aquilo que passámos. Será que depois da pandemia findar, continuaremos a ser egoístas, fechados em nós mesmos, cada um com o seu telemóvel na rua, batendo com a cabeça um no outro? Sinceramente, espero que estes tempos despertem a consciência humana e percebamos que somos um só corpo e uma só vida com tudo o que existe.


Com mais consciência, o ar pode melhorar, os rios, também, a natureza em geral e as nossas relações uns com os outros, igualmente. Que essa experiência/Pandemia nos transforme para melhor. Gostava tanto! Nós vamos aprender com tudo o que temos passado ou iremos esquecer tudo daqui a alguns anos? Seria bom que ficasse em nós a lembrança deste terrível acontecimento que quase destruiu o mundo, pois engrandeceríamos como seres humanos. Estarei eu a ser ingénua e utópica?


CÉU

126 comentários:

  1. Olá amiga, que bom ler um texto claro e direto sobre este momento diante uma pandemia.
    As reflexões estão perfeitas e cabem aqui como ai e acolá, cuidar e cuidar, pois é cuidando, que podemos cuidar e multiplicar as orientações sérias e concretas sem criar fantasmas, mas também sem minimizar um inimigo implacável, que agora vem com uma variante, que se diz mais violenta e por aqui os leitos estão no limiar, o que é gravissimo. Há irresponsabilidade por todos os lados, seja de governo como da população, que insiste em ignorar o momento perigo. E assim vamos neste isolamento fazendo o melhor por nós e pelo mundo e se assim procedendo vamos sim passar por esta terrivel onda, para surfar sobre ondas leves lá na frente.
    Meu terno abraço e cuide-se sem pânico.
    Beijo e paz amiga.

    ResponderEliminar
  2. Olá, amiga Céu, boa noite!

    Acabei de ler com muita atenção o texto que escreveu, e estou plenamente de acordo.
    Esta pandemia que assola o mundo inteiro, é catastrófica. Mas infelizmente, há muitas alminhas inconscientes, que parece para elas, só acontece aos outros. Daí, não respeitarem nada nem ninguém. Continuando com o seu egoísmo egocêntrico, pensando unicamente é exclusivamente em si próprios. Não respeitando o confinamento e regras defendidas, tanto pela DGS, como pelo governo.

    São regras duras, reconheço. Mas essenciais para darmos a volta a este maldito vírus!
    Duvido muito, que alguma coisa de muito diferente do antes da pandemia.
    Oxalá me engane. Mas se não houver outros comportamentos e atitudes mais responsáveis, será difícil controlar o vírus.
    Muito oportuno e lúcido este magnífico texto!

    Votos de uma ótima semana com muita saúde!
    Beijos e abraços!

    ResponderEliminar
  3. Hola Céu. Un placer leerte. No se a dónde llegaremos con eso de la covid. Tal como está yendo de momento no me gusta nada...y creo que si no hay una fuerte reacción popular para parar lo que parecen querer instaurar los dirigentes mundiales acabaremos perdiendo buena parte si no es la totalidad de nuestras libertades y de los derechos sociales que con tanta lucha consiguieron las generaciones que nos precedieron.
    Enfin...a mi nivel sigo intentando mejorar como ser humano y poder ser parte de una sociedad mejor...porque si todo el mundo baja los brazos entonces si que es seguro que iremos cada vez mâs hasta un mundo inhumano sin ninguna libertad de decisión, en el cual no será posible vivir de otra manera que la que hayan decido sus dirigentes...
    Besos, salud y cuídate.

    ResponderEliminar
  4. Céu, que lindo o texto e os pensamentos budistas. Mas infelizmente, não creio que houve melhoras nas pessas com essa pandemia, como todos imaginávamos... Basta ver que há quem finja aplicar vacinas nos idosos para ficar com uma dose guardada sabe-se lá pra quem...E tantos outros que nem aí pra nada, se aglomeram, pensando em si somente e se lixando para osa demais. Po isso, tá feia a coisa de acreditar em melhoras. Ainda estão egoístas ao extremo!
    beijos, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  5. Debido a los meses que hemos estado encerrados en nuestras casas por prevenir más contagios, yo creo que hemos tenido tiempo suficiente para reflexionar sobre lo peligrosa que es la situación que estamos viviendo.
    Hemos aprendido a valorar más la salud al ver que tantos y tantos pierden la vida cada día, hemos aprendido a preocuparnos por ese vecino que está solo y que, por ser mayor, no puede salir ni a comprar, yo creo que nos hemos hecho un poco más solidarios.
    Pero también pienso que aún nos falta mucho por aprender y debemos corregir hábitos que no son buenos, los jóvenes se siguen reuniendo, haciendo botellones y hay hasta mayores que se olvidan de poner en práctica las medidas preventivas para evitar más contagios.
    En fin, aprender hemos aprendido, pero aún queda un largo camino por recorrer.
    Cariños y un fuerte abrazo.
    kasioles

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde, Amiga CÉU!
    Adorei o seu texto no geral. Estamos a passar por uma enorme prova de fogo. Estamos a ser postos à prova. Claramente que se pensa que só acontece aos outros. O Covid 19- já passou pela minha família mais direta. Felizmente nada de grave. Tenho a minha nora quase a ter Bebé, e no inicio do mês foi ao hospital porque lhe deram umas contrações, como pensavam que era para ter fez o teste e deu positivo, completamente sem sintomas. Esteve lá 3 dias, depois foi para casa., foi pedido para o marido e a filha de 5 anos fazerem o teste ao fim de uma semana, e estavam os dois negativos. Entretanto ela já deve estar bem. Por estes dias a bebé nasce. É uma enorme preocupação porque até nos hospitais se pode apanhar o vírus.

    Claro, não podemos estar a culpar ninguém pela pandemia. Podemos e devemos evitar que se alastre, ficando em casa e quando sairmos termos as precauções, apenas e só em casos especiais e necessários.

    Também gostaria, que esta pandemia ao menos servisse, para fazer das pessoas, melhores pessoas. Que acabasse o cinismo, a ganancia, a vaidade, os luxos desnecessários. Sobretudo que acabassem as corrupções que é a maior podridão deste País. Que todos tivéssemos em atenção ao sofrimento e angustia dos que nada têm. Eu aprendi... aliás, nunca fui “extravagante nem vaidosa”

    SERÁ, QUE NO FIM DE TUDO, SE APRENDEU ALGUMA COISA???

    Um Beijinho grande para si, e espero que se encontre bem! 🌹

    ResponderEliminar
  7. Olá, querida amiga Céu!
    Que texto! Muito lógico e com informações procedentes.
    Você sabe que estamos lutando em família com a Covid?
    Não é fácil, deixa sequelas horríveis. Mesmo com todos cuidados que todos tivemos bem. Só pode ter sido de supermercado sempre cheios. Por minha vez, eu peço tudo na porta, recebo de máscara e com todos os protocolos adequados. Agora, quando desci na alvorada, rápido no mar, sem praticamente ninguém perto, uso duas máscaras.
    Infelizmente, não foi suficiente, amiga.
    Garanto a você que filho é muito cuidadoso e pegou a segunda cepa já. A primeira na família esteve presente em março... Não foi moleza.
    Agora, segundo se sabe, é mais contagiante... Eu creio. Todavia temos mais chances de curas, pois especialistas já conhecem um pouco da peste maldita.
    Enfim, ficar sem um abraço dos que amamos faz por si, um estrago em nosso �� , no físico e no emocional, como bem sabe.
    Vejo por aqui pelo Brasil todo, e em minha cidade,um descaso total.
    Carnaval teve movimento em todo canto só do meu Estado falando.
    Praias lotadas e festas clandestinas por todo lado.
    Enfim, creio numa humanidade melhor. Tenho esperança de dias melhores, acredito também num homem novo.
    Há muita gente boa que nos cerca.
    Recentemente tive uma prova palpável de como as pessoas são solidárias na dor.
    Ah! Amiga, quero aproveitar e agradecer pela sua delicadeza de ter respeitado meu silêncio.
    Sabia que você agoria assim.
    Sua psicologia é fenomenal.
    Só peço ao Universo que lhe de paz e saúde.
    Quero muito lhe conhecer um dia.
    Fique bem, amiga!
    Proteja-se bem e vamos vencer tudo isso.
    Com meu carinho de muita gratidão,
    Beijinhos
    Agora, estou aqui:
    https://flordocampo3.blogspot.com/



    ResponderEliminar
  8. Olá Céu!

    "A nossa vida está sempre por um fio."

    Esta é uma grande realidade que tendemos a esquecer e, até percebo porquê. Só quando confrontados com ela voltamos a recordar que nada é para sempre. Que esta é, somente, uma caminhada.

    Estou de acordo com todo o excelente discurso . Não acho que haja ingenuidade ou utopia, teremos que aprender com todas as lições que a natureza nos está a dar, contudo, existem sempre existências que não têm um pingo se consciência. Se essas prevalecerem, estamos mal. Talvez caiba à maioria de nós, lutar para que a verdade seja aceite e os actuais valores se alterem.

    ADOREI!!!

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  9. Belissimo e oportuno texto CÉU!...

    Enquanto as horas emagrecem à minha porta, corroendo tudo, transformando o
    estranho da paisagem, eu olho pela janela e vejo a cidade vazia, estrangulada de
    desejos onde a dureza dos tempos esculpiu rostos de máscara, gélidos olhares e
    gestos distantes. Nas ruas de sombras altas, onde o sol deixou de colher
    sorrisos, abriu-se uma ferida na cidade que ninguém sabe quanto irá doer. A
    solidão cresce insidiosa trazendo consigo um negro presságio, com um rumo
    tão secreto que ele próprio ignora. E nessa voragem tão ampla que nada poderá
    conter, o medo exprime-se em quarentena, num qualquer quarto fechado com
    uma janela aberta para o jardim da alma, porque o espectro nos toca, silencioso
    e leve como uma pluma.
    Olho para dentro de mim, onde apenas encontro restos de silêncio. Mais nada.
    Até o meu rosto cada vez mais lento, vai perdendo identidade e ganha espanto,
    encarcerado no seu próprio medo. Há uma tristeza negra a escorrer pelas
    paredes, e sinto saudades desta cidade que amo e que agora, não quero ver.
    Nada vem ao meu chamamento. Nada vem ao meu encontro. Tudo é árido e de
    cores negras. ATÉ QUANDO??

    Um forte abraço!

    ResponderEliminar
  10. Un gran texto el que compartes y lleno de verdades.
    Estamos atravesando una época muy mala e incierta.
    Es muy importante ser solidarios y responsables.
    Esta situación crea mucha preocupación y ansiedad.
    Una pena el comportamiento de algunas personas.
    Un beso. Mucha suerte.

    ResponderEliminar
  11. Céuzinha, utópica... um excelente texto que gostei muito de ler, mas acho que tudo vai voltar ao que era: preocupações excessivas com desejos transformados em necessidades. É o triunfo do capitalismo, do consumismo inconsciente e exagerado. A minha vida é muito diferente da da maioria das pessoas que conheço, preocupo-me com a poluição, com as alterações climáticas, com o desperdício, com a ausência de tempo para os outros, com a falta de tempo dos pais para ouvirem as crianças... porque como disseste e bem, o tempo é igual para todos, a forma de o gerirmos é que difere. Porque muitas vezes é muito mais fácil estar pespegado na televisão ou no telemóvel do que escutar um familiar próximo, até dentro da nossa casa. Há falta de comunicação, há falta de compreensão, há falta de instrução, mas não há falta de distrações que nos roubam tempo para o essencial. Não me vou alongar mais. Obrigada pelo teu texto, obrigada por estares desse lado. Há muito que não vinha aqui, nem sempre me lembra... não tens seguidores, pois não? Beijinho muito grande, vamos continuar firmes no confinamento (tenho cumprido escrupulosamente), como dizes é a vida acima de tudo, que interessa. E essa só há uma, irrepetível!

    ResponderEliminar
  12. O tempo é o que fazemos ser, a vida faz eco àquilo que somos. A virulência de uma sociedade egoísta, estúpida, fútil e sem empatia, pariu esse vírus e as outras tantas desditas que temos vivido. Se apagarmos da memória essa lição agora vivida, certamente, a história se repetirá e seguiremos ruminando nossa velha ignorância de estimação. Até quando teimaremos nos desatinos egocêntricos, desumanizados e desumanizantes? Ainda que o espírito transcenda, cada vida é única em sua oportunidade de nos fazermos melhores, mais solidários, altruístas e minimamente humanos. Por enquanto, preferimos terceirizar culpas e soluções, como na máxima sartreana: "O inferno são os outros". Assim segue-se sem máscaras, aglomerando feito gado, rumo ao asfixiante aprisco da inconsciência e da fatalidade.

    Gostei muito de ler aqui.

    Um abraço. Tudo de bom.
    APON NA ARTE DA VIDA 💗 Textos para sentir e pensar & Nossos Vídeos no Youtube.

    ResponderEliminar
  13. Es muy interesante, el budismo y su filosofía ayuda mucho, hay que reflexionar tus palabras y sacar lo que nos interese. muchas gracias por contarlo. Un abrazote

    ResponderEliminar
  14. Magnífico texto e cheio de motivos de reflexão. A humanidade está demasiado fragilizada. É preciso que todos nós questionemos as nossas atitudes para não cometermos sempre os mesmo erros. É da consciência de cada um a responsabilidade. Mas será que depois da pandemia vamos ser mais fraternos, menos egoístas, mais solidários? Quem me dera acreditar nisso.
    Obrigada, Céu, por este texto tão cheio de lucidez.
    Cuide-se bem.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  15. Olá Ceu, gostei infinito desta lectura, desta reflexión que faz sobre tudo o relacionado co tempo, ca pandemía, ca maneira de comportarnos...
    Algo vai ter que trocar o mundo, a gente.... Sempre ten habido grandes cambios nos que tudo mudou para melhor ou para pior. Haberá que estar ao que toque.
    O nosso ritmo de vida antes da pandemia, era demasiado irresponsable co planeta para empezar. O consumismo imparable, o non ser capaces de sacrificios polo bem de tudos/as...
    Medo a morte nao debemos ter porque sabemos que é algo que nos vai passar antes ou depois. Pero medo a enfermidade... sím que é algo que non inqueda.
    Agradezo o seu tempo para escriver tudo esto que nos deija.
    Um grande abraço e muito ánimo. Coidémonos!

    ResponderEliminar
  16. Um texto impactante em suas verdadeiras reflexões. A humanidade está como cego em tiroteio, uns angustiados pelas perdas, outros com suas displicências se recusam a se proteger adequadamente, o tédio em casa , eu imaginava que esse novo normal poderia ensinar algo proveitoso aos arrogantes, mas percebo em muitos uma boa dose de exacerbação da indiferença, enfim o ser humano continua como antes, deseducado.
    Que todos estão a desejar o fim da pandemia sim , mas não querem praticar os cuidados precisos.

    Temnha um resto de semana em paz.

    Bjs saudosos querida.

    ResponderEliminar
  17. Olá Céu
    Obrigada por me conduzir ao seu maravilhoso blogue.
    A vida é mesmo o mais importante. Há que protege-la.
    Manter a esperança é fundamental para ajudar a superar isto tudo.
    Um grande beijinho e muita saúde

    ResponderEliminar
  18. Interesante lo que compartes, te leo y reflexiono, saludos amiga.

    ResponderEliminar
  19. Um excelente texto com o qual estou de acordo. A minha avó Piedade sempre dizia que a única coisa que temos certa na vida é a morte. Tudo o resto tem a fragilidade dos sonhos.
    Às vezes eu também digo que não tenho tempo para nada. Mas o tempo é o mesmo, sou eu que me perco nas múltiplas tarefas que duas crianças com uma tão grande diferença de idades me dão. Ontem por exemplo a Nita com teste a precisar de toda a concentração e a Guida com birra porque queria porque queria brincar com a "Nana".
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  20. Céu!
    O tempo esse nosso amigo de hoje, ontem e de sempre.
    Com filosofia, religião ou, sem elas, há algo que nos transporta a uma questão muito pertinente; Fiz bom uso dele? e, outra, não menos importante; o que irei fazer com o tempo que ainda me resta?
    Com pandemia ou sem ela, importa saber fazer bom uso do mesmo.
    Um abraço de muita amizade,

    ResponderEliminar
  21. Querida CEU, la pandemia (comparto tu opinión al respecto)nos dio una bofetada para despertarnos en relación al comportamiento humano. El consumo, la egolatría, el afán de hacer dinero desde una visión arribista, acabó con el reconocimiento del otro, y el desdén por los bienes naturales, llevando a la defenestración de ecosistemas y su biota. Pero no basta reconocerlo, para después de la pandemia construir un tejido más humano.En el fondo, hay una razón más estructural : el neoliberalismos y sus políticas económicas, que deshumanizan y crean ese espíritu del yo,yo, yo. Debemos pensar en buscar salidas ideológicas, para que la política y el poder se humanicen, y tiendan al mejoramiento social y de derechos humanos.
    UN abrazo desde mi cubil colombiano. Carlos

    ResponderEliminar
  22. Olá Céu.
    Em primeiro lugar, peço desculpa por nunca mais ter dito nada, mas com as aulas à distância, os meus olhos já não têm capacidade para estar mais tempo no computador.
    Agradeço o seu cuidado acerca da minha saúde. Felizmente, estou bem. Claro que tenho saudades de passear e viajar, mas tudo há de voltar a ser como é.
    Sim, deixei a opção da moderação dos comentários para não ter mais um "trabalho" a fazer.
    Gostei muito do seu texto; só não me parece que a humanidade vá melhorar após a pandemia (infelizmente). Quem é bom continuará a o ser, quem não o for mantém esse seu carácter...
    Votos de muita saúde e até breve.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  23. Este convite teu, que já me tinhas dado a entender em alguma ocasião, obriga, como sempre, a uma profunda reflexão. Está bem, mas com tanto cientifico continuamos a não saber as origens e. obviamente, a criar vacinas, que não o são, apenas pantalhas, sem acabar por solucinar este grande dilema. Aguardemos, enquanto o mundo vai caindo como moscas. Abraço de vida, querida amiga

    ResponderEliminar
  24. Una nueva mirada hacia un humanismo que explique lo que nos sucede...

    Abrazo grande, CÉU.

    ResponderEliminar
  25. Eu também gostaria que houvessem transformações na sociedade depois da pandemia. Mas não acredito.
    Excelente texto querida amiga.
    Fica bem, tudo de bom!

    ResponderEliminar
  26. Aunque el coronavirus está por todas partes y por supuesto también ha llegado a mi ciudad, ni a mí ni a mi familia hemos sido contagiados por él. Mis salidas se limitan a hacer la compra y las comidas las hago toda en casa. No viajo a ningún lado hasta que nos pongan la vacuna y veamos el resultado que da.

    Esperemos que también te encuentres con buena salud.

    Besos

    ResponderEliminar
  27. Muy interesante tu reflexión, con pinceladas budistas y con el que estoy muy de acuerdo, aunque me gustaría añadir una observación muy puntual, y se trata a lo que dijo Buda hace 2600 años sobre "que no había nada seguro en el mundo", pues yo pienso que si, porque todos y todo nacemos para morir, y esa muerte no nos la puede quitar nadie, así que es seguro que todos morimos.
    Un fuerte abrazo, querida amiga Ceu.

    ResponderEliminar
  28. Boa noite, querida Céu.Seu texto nos força a refletirmos o momento em que, o mundo sofre, porém parece que há muitas e muitas pessoas que são intolerantes, não percebem que a hora é de cuidados. Eu precisei me afastar com meu marido para a chácara, pois ele tem enfisema pulmonar. Tenho um casal de filhos, que ficaram juntos em nossa casa, mais no centro da cidade, minha filha foi contaminada, mesmo com todos os cuidados, sofreu muito. Eu mais ainda por não estar com ela, meu filho cuidou dela, e graças a Deus não se contaminou. Na Universidade onde ele trabalha havia pessoas doentes e foram afastadas, ficaram trabalhando em casa. Agora estão aos poucos retornando.É difícil, na chácara a internet é lenta, isso quando não ficamos sem. O medo lidera tudo, a ansiedade me pegou, meu emocional também ficou mexido.Penso que após a pandemia não haja muita mudança, pois as pessoas não estão se conscientizando. Espero que você entenda o porquê demoro para visitar seu espaço. Grande abraço!

    ResponderEliminar
  29. Olá, Céu!

    Espero que estejas bem!

    O teu texto apela a uma grande reflexão. Subscrevo o que escreves.

    Debruço-me sobre a questão da transformação da sociedade, dando-te um exemplo real: moro em frente a uma escola. Todos os dias (incluindo sábados, domingos e feriados, desde março passado) são servidas as refeições aos alunos que têm apoio escolar. Da minha varanda assisto aos papás nos seus carros de alta cilindrada (alguns adquiridos durante a pandemia) a irem buscar a refeição para os filhos. E pergunto: têm condições para comprar e sustentar as viaturas mas, não as têm para alimentar os filhos? Estes também são os que foram exigir os equipamentos para que os filhos pudessem ter aulas em casa.
    Entretanto, para dar resposta às necessidades destes "pobres" outros, que vivem com dificuldades efetivas, tiveram de fazer das "tripas coração" para criar e dar as condições necessárias aos seus filhos.
    Se estas pessoas (que não são assim tão poucas como se pensa), durante a pandemia, não têm a consciência de que estão a prejudicar quem realmente precisa, como é que irão mudar e tornar-se melhores pessoas após a pandemia?

    Cuida-te, minha Amiga! Fica bem!
    Beijinhos
    Liliana
    Ideias Recicladas e... não só!

    ResponderEliminar
  30. Ojalá esta tragedia sirva para dejar un mundo mejor a las siguientes generaciones.

    Besos.

    ResponderEliminar
  31. Que delícia ler seu texto, Céu, muito bem escrito, parabéns!!
    Os acontecimentos aqui no Brasil me deixam desanima, muita incompetência, insensibilidade, negacionistas da doença, gente promovendo tratamento nada a ver, dando golpes pra todo lado, simulando dar vacina e não dar, furando fila da vacina, não usando máscaras, sem cuidados com higiene, se aglomerando por diversão...Enfim, doidos nem aí com o perigo da doença e outros tantos tentando levar vantagem neste momento que deveríamos estar unidos e sensibilizados ao sofrimento.
    Aqui, Céu, tá muito difícil ser otimista.
    Abração!

    ResponderEliminar
  32. Minha querida amiga, gostei do texto e do tom de serenidade e esperança que lhe imprimiu.

    Do budismo tibetano retenho dois conceitos : o desapego e a impermanência.

    Do tempo , tenho duas abordagens : Kronos e Kairos.

    Quanto à Humanidade e depois do que tenho visto... não fico optimista quanto ao futuro.

    Ma chérie, bisous :)

    ResponderEliminar
  33. Boa noite Céu, obrigada pelo carinho,aos poucos vou regressando e visitando os blogs que a tristeza que sinto ainda não me deixou regressar
    Li e reli o seu fantástico texto,estou completamente de acordo com tudo que escreveu.
    Desejo-lhe tudo de bom
    Bjs

    ResponderEliminar
  34. Aí já sábado, bom dia, Céu!...
    Gostei de refletir com o seu bem escrito texto. A pandemia tem sido mesmo trágica e mudou muita coisa. Creio que muitas pessoas ficarão melhores, porém outras, infelizmente, continuarão egoístas e vazias. O mundo geme e clama por socorro!
    Uma coisa sei, a sensibilidade, a criatividade e praticidade têm se multiplicado no coração de muita gente. Também a humildade e o quebrantamento. Mas, sabemos que a maldade sempre existirá...
    Prossigamos, relaxemos o máximo e respiremos fundo com toda coragem e força interiores...
    O meu abraço

    ResponderEliminar
  35. Muy querida amiga CEU,

    Pase de nuevo a confirmarte cuanto valoro tu amistad y lo mucho que me agrada que nos visitemos mutuamente en nuestros blogs.

    Abrazos inmensos!!!!

    ResponderEliminar
  36. O que mais me constrange são as outras pandemias: a do medo, a da fome e as das outras doenças não tratadas, que estão a matar todos os dias.
    Ah, e veio ao de cima tudo o que o ser humano tem de pior. As máscaras vieram sobrepor-se às outras máscaras.
    Se tudo vai ficar bem? Quem dera!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  37. Boa tarde Céu,

    Passei pelo seu cantinho para lhe desejar um bom fim-de-semana cheio de paz e saúde.
    É mesmo muito importante refletirmos sobre o que estamos a viver, sobre que mudanças podemos introduzir de futuro. Também é importante respeitarmos as regras porque a nossa liberdade termina onde a dos outros começa.

    Por aqui há mudanças que vieram para ficar. Uma maior valorização da família e da natureza, reciclar mais e dar mais importância ao estar do que ao ter, são algumas das aprendizagens.

    Beijinhos Céu.
    Vanessa Casais

    ResponderEliminar
  38. Um texto brilhante, infelizmente não creio que a humanidade vá melhorar significativamente após a pandemia.
    Fique bem, beijinhos

    ResponderEliminar
  39. Um excelente texto numa altura em que o mundo atravessa uma faze muito dificil, que parece não ter fim à vista.

    Isabel Sá  
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  40. Bom dia minha amiga Ceu!

    Espero que esteja tudo bem com você e família e que estejam se cuidando em meio a essa crise que a pandemia está promovendo no mundo todo.


    Claro que em alguns lugares devido a problemas políticos e ideológicos o problema toma proporções muito maiores.

    O grande diferencial desse vírus e que ele está mutando muito rapidamente e se tornando cada vez mais letal, o pior é que a eficácia das vacinas que já estão sendo aplicadas não está conseguindo fazer frente a mutação. Quem aglomera e não toma as devidas precauções de higiene, acaba colaborando com a propagação do vírus e adiando o
    fim da pandemia.

    Aqui onde vivemos de momento estamos de certa forma um pouco mais seguros, as pessoas respeitam o distanciamento e usam máscara de proteção em lugares públicos.

    Não nos aglomeramos, pouco utilizamos transporte público porque moramos num local próximo de tudo o que nos interessa de momento, já que não se pode viajar.

    Conheço Portugal, já tive o prazer de viajar várias vezes subindo do sul até La Coruña e fazendo o caminho inverso, um país muito belo e as pessoas que tivemos contato pelos caminhos nos trataram muito bem. Hoje temos uma sobrinha que mora em Aveiro, outra cidade muito agradável, nossa ideia e morar na Espanha ou em Portugal, vamos deixar as coisas acontecerem naturalmente.

    Obrigado pela visita e amável comentário, se cuide, bjs

    ResponderEliminar
  41. Un texto sin duda para reflexionar. Creo que cuando esto acabe, que deseo sea pronto, la memoria global tratará de olvida enseguida lo ocurrido. Siempre a pasado así, nunca aprendemos.
    Gracias por tus letras, un abrazo.

    ResponderEliminar
  42. Vivemos dentro do tempo que nos é concedido em vida e o nosso estado é uma consequência disso mesmo.
    É por termos consciência da nossa finitude que devemos estar mentalizados para o sabermos aproveitar ao máximo, porque não sabemos quando vamos deixar de o poder aproveitar.
    Abraço de amizade.
    Juvenal Nunes

    ResponderEliminar
  43. Me encanta Céu, es toda una filosofía de la vida, claro que tenemos tiempo, los años nos van abriendo los ojos, la madurez la sensatez y se da uno cuenta lo que es el tiempo.
    Enhorabuena.
    Feliz semana.
    Abrazos.

    ResponderEliminar
  44. Bom dia, Céu
    Aprendemos muito com a pandemia, todos iguais, que Deus tenha misericórdia das nossas vidas. Bjs querida.

    ResponderEliminar
  45. Olá querida Céu.

    Mais um excelente texto, com uma excelente reflexão. Não tenho muito a acrescentar pois já disseste tudo.
    Para mim, esta pandemia tem sido um desafio muito grande pois obrigou-me a sair do meu conforto, da minha rotina, e reajustar a minha vida, enfrentando medos antigos. Mas como todos os desafios têm algo positivo, vejo tudo como uma aprendizagem.

    Espero que estejas bem!

    Um beijinho *

    http://by-pattyy.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  46. Hola amiga CEU. Que brillante e interesante reflexión. El miedo es algo que no se puede anular. Pero no es el miedo, es como reaccionamos cuando este se presenta, el tiempo es parte del todo, tiene su ritmo pero no hay que olvidar que nosotros tenemos nuestro propio ritmo, y nuestro corazón late a su propio ritmo fuera de lo común.
    La libertad es peculiar, no es lo que se cree, la gente dice que ama la libertad que es libre, pero cuando conocen una persona verdaderamente libre, les da miedo, hay que saber comprenderla para que nazca en el corazón.
    Un abrazo amiga, linda reflexión me intereso.
    Se feliz

    ResponderEliminar
  47. Olá.
    Estamos separados pelo mar, e agora pelo Covid. Gostei muito do texto e escolhi esta frase "Isso de faço o que quero, quando quero e com quem quero, sempre foi e será uma falsa sensação de liberdade". O Bernardo manda um abraço, e agora está vindo o Miguel filho de meu outro filho. Um abraço, paz e bem. Seria pedir muito você me alertar quando postar? geraldo@tremnet.com.br; Um abraço, paz e bem

    ResponderEliminar
  48. Olá Céu.

    Talvez estaremos a ser um pouco ingênuos. Desde o ano passado que temos deparado com várias situações em que a maioria da população tornou-se de uma certa forma, egoístas. Seres tão individualista que é cada um por si e que outros se lixem.
    No post e disse bem, as pessoas tem a tendência de apontar o dedo para arranjar um culpado para tudo ou toda a situação que possa surgir. Se o tempo que perdem a andar com o dedo esticado, se esticassem a mão a levantar quem precisa.

    Coloquem nas vossas cabecinhas quadradas que hoje são eles, amanhã poderemos ser nós a precisar. Não olhem só para o vosso umbigo.

    Adorei o seu post.
    Beijinhos
    Os Piruças

    ResponderEliminar
  49. Aplaudindo o seu texto de pé, Céu
    Estás certíssima.
    Fique bem e
    Cuide-se
    Um carinhoso abraço
    Verena

    ResponderEliminar
  50. Que bela reflexão,
    Querida Céu! É perfeita
    A tua análise feita
    Sobre efeitos que virão
    Por reflexo não vão
    Da maldita pandemia
    Que a nossa vida esvazia,
    Mas compensa outros meios
    E deixa ambientes cheios
    De mais vida e energia.

    Gostei imensamente de tua crônica, irmã querida! Parabéns! Abraço fraterno. Laerte.

    ResponderEliminar
  51. Olá querida amiga! Gosto muito da filosofia budista, quando nos alerta sobre a impermanência. É um árduo aprendizado, pois nossa mente sempre nos leva a tentar controlar tudo, a nos preocupar excessivamente com um futuro que muitas vezes vem bem diferente do que imaginávamos.
    Também gostaria que o mundo mudasse para melhor, aprendendo com tanto sofrimento; porém vejo que uma grande parte da população está em estado negacionista, vivendo como se nada houvesse. Outros fecham-se em seus pequenos mundos, sem um olhar reflexivo e empático para os outros.
    Mas tenhamos esperança de que uma boa parte das pessoas evoluirá com os acontecimentos, e que seja uma parte grande o bastante para alavancar as tão necessárias mudanças no planeta. Um carinhoso abraço!

    ResponderEliminar
  52. Querida, Céu!

    Gostei imenso do seu texto e da reflexão que nos leva a ter.
    Infelizmente, muitos ainda não aprenderam nada com a pandemia, agem como se o vírus não estivesse circulando pelo mundo.
    Onde moro os casos aumentaram demais e ainda assim vejo muitas pessoas pelas ruas sem máscara, a conversarem tranquilamente umas com as outras.

    Sim, a nossa vida está sempre por um fio, mas tantos agem como se ela fosse eterna e deixam para amanhã o que podem fazer hoje.

    Não ando muito confiante que a humanidade vá mudar depois da pandemia não. Acredito que aqueles que já estavam antes procurando seu crescimento interno, vão acrescentar a si, mais esse aprendizado. Enquanto os que não querem nada com nada, vão continuar procurando ao redor de si, um culpado.
    Descrente eu? Talvez.

    Bjs

    Sônia

    ResponderEliminar
  53. Olá, querida Céu,

    Muito bom refletir sobre a Pandemia com o seu belo texto. Adorei , pena que estamos aprendendo pela dor, pelo medo, pelas lágrimas....
    Estamos vivendo um grande desafio mundial.
    Parabéns pelo magnifico post!

    Beijos e cuide-se bem!

    ResponderEliminar
  54. Céu um maravilhoso texto, a pandemia está nos provando como vamos reagir, vamos passar pela luta, e crê que essa pandemia vai ter um fim, bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  55. Olá, CEU!

    Excelentes reflexões!

    Penso que muitas pessoas hoje perdem a noção sobre a condução de suas vidas e, de fato, as mudanças de comportamento causadas pela pandemia acabaram por desnortear a muitos. Aliás, ainda estamos tentando desenhar qual rumo se deve tomar, sendo possível que tudo isso dure muito mais tempo. E quanto a querer estar em todos os lugares, creio ser fruto da maneira como sempre vivemos e que se desnorteou com o amplo acesso á internet, vários anos antes da pandemia.

    Acredito que o homem nunca foi totalmente livre. Temos uma margem de liberdade para decidir, mas que seria limitada pelo condicionamento externo. Hoje a nossa saúde global depende de um comportamento sensato da coletividade planetária a fim de que a transmissão da doença seja controlada e não haja o cultivo de um vírus tão letal que, por mutações, pode continuar a causar novos males.

    Sentir medo é natural pois tem a ver com o nosso instinto de sobrevivência. Porém, não podemos é ficar reféns desse sentimento e nem da ansiedade ou da angústia para não ficarmos paralisados. Temos que ser proativos, buscar soluções. Seja para a cura da doença ou para a economia e a vida em sociedade se desenvolverem seguramente.

    Concordo com o Buda de que não haja nada seguro no mundo. Realmente todas as coisas estão em chamas, embora os mares tenham momentos de bonança. Em todo caso, não podemos ter pavor do caos de modo que, se o mar se agita, precisamos da libertadora coragem dos nossos antepassados que atravessaram o Atlântico, alcançando novas terras no começo da era Moderna.

    A pandemia acredito que irá passar ou ficará mais controlada já que, no passar dos anos, iremos conhece mais sobre o vírus e precisaremos tomar consciência acerca da gravidade dessa doença cumprindo corretamente com as orientações científicas. Todavia, os progressos tecnológicos alcançados nesse momento, a exemplo as relações empresariais criadas na internet, deverão permanecer e não vamos tomar banho duas vezes no mesmo rio, como bem, dizia o sábio Heráclito. E vamos poder dizer o mesmo quanto ao ensino escolar das crianças e ao serviço público. Mas será que faremos algum progresso ético-existencial? Saberemos assumir a nossa responsabilidade? Vamos redescobrir a solidariedade ou terminaremos a pandemia mais endurecidos e fragilizados nos nossos relacionamentos pessoais? Também desejo que os melhores sentimentos sejam despertados, porém temos que os piores também aflorem, sendo que cada qual tira os próprios aprendizados de cada situação.

    Se a experiência da pandemia será significativa depois, acredito que sim, mas a durabilidade poderá não sobreviver a duas gerações. Pois até entre os que se dedicam ao estudo da História há quem não tenha a percepção dos erros de uma época de maneia que o cidadão comum sem estudo perde com facilidade a consciência das lutas que seus antepassados travaram para conquistar direitos e benefícios usufruídos no presente. Há 75 anos findou a 2ª Guerra Mundial e os poucos sobreviventes que ainda temos são quase que figuras mitológicas para uma criançada nascida na última década que sofreu com a interrupção das aulas presenciais. Se algum bisavô ainda vivo fosse lhes contar sobre os campos de concentração, as bombas lançadas sobre suas cidades, os amigos e parentes mortos nas batalhas, as hostilidades dos regimes totalitários, alguns poucos só compreenderão por meio de um estudo mais atento e aprofundado. Do contrário, experiências dramáticas poderão se repetir num momento futuro, diante do risco de uma amnésia coletiva.

    ResponderEliminar
  56. Uma boa reflexão. Sobre esses momentos sombrios que estamos passando. Que qdo tudo isso passe fique a penas a certeza que nessa vida tudo passa. Mas o nosso amor e respeito pelo próximo. Sempre deverá existir. Bjs querida

    ResponderEliminar
  57. O seu texto é pertinente mas esta pandemia deixa muitas dúvidas no ar. E serve para justificar o injustificável! Na Idade Média, muita gente foi atirada para a fogueira em nome do Divino! Há muita coisa subjacente que fica fora do nosso alcance ou conhecimento... É demasiado ruído, em torno da questão... faço a minha parte com calma e serenidade ! Penso por mim !
    Quanto às melhorias do ser humano? já se viu como é! A minha teoria é outra!

    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  58. Belíssima reflexão sobre a pandemia que nos assolou e o comportamento de cada um de nós em relação a ela. É verdade que muitos a respeitam e vivem com medo de adoecer , mas também há outros tantos que continuam a negar a perigosidade do vírus que comparam ao de uma gripe normal e não se protegem, para proteger os outros...
    Sobre os meses de confinamento e da solidão e tempos mortos que trouxe que trouxe a imensas pessoas, tens toda a razão, é melhor não ter tempo para nada, do que ter demasiado tempo e nada para fazer! É necessário ter um grande poder de aceitação e sabedoria para resistir à depressão e ao stress, e uma vontade expressa de ocupar a mente e por acréscimo, as "mãos", de maneira a esquecer o vazio dos dias e o medo de ser infectado!
    Em suma, é preciso ser inteligente, paciente e prático e acreditar que o amanhã nos trará de novo a normalidade e todas as coias boas que ela encerra.

    ResponderEliminar
  59. Oiee Céu! Eu ainda não tinha visto tantas verdades em um só post. Eu também penso Exatamente assim sobre a vida e a pandemia. Eu me identifiquei com cada palavra. Estou otimista que as pessoas irão acordar e melhorar seus hábitos para termos um planeta melhor.
    Beijos,
    Paloma Viricio 💫💙

    ResponderEliminar
  60. Me encanta la reflexión que haces sobre lo que ocurre Cielo. coincido en que cuando trabajamos todo el dia fuera de nuestro hogar sobreviene la queja de "falta de tiempo para...", cuando tenemos ese tiempo, no sabemos en qué ocuparlo.
    Hay muchas cosas interesantes para hacer y de hecho la pandemia también ha permitido que los niños, después de tantos años, pudiesen compartir mas espacios en familia, ya que los padres siempre estamos "apurados".
    Por supuesto que no vamos a celebrar que la gente muera, pero si, podemos advertir que es un tiempo en que todos los seres humanos tenemos que "aprender algo". Esta pandemia nos vino a enseñar. Puede ser que tengamos que dedicar mas tiempo a nuestro hogar, a nosotros mismos, a nuestros afectos, tiempo de leer, de escuchar música, de cuidar y apreciar la naturaleza, tiempo de ver una buena película en familia, de mirar con otros ojos el paisaje cotidiano, tiempo de agradecer y de valorar el instante de vida.
    Es muy lindo lo que has traído hoy como reflexión. Siempre es sanador "detenerse", mirar alrededor, dar agracias.
    Te dejo un gran abrazo Cielo, y que podamos seguir adelante con una visión esperanzadora y constructiva.

    ResponderEliminar
  61. Boa noite Céu
    Escreveste muito bem sobre este desafio que se coloca a todos nós
    de continuarmos a viver, fazendo o possível para nos protegermos mas sem nos deixar influenciar pelo medo diário, e ao mesmo tempo ajudar os outros, esses outros dos quais nos devemos afastar, e não perder tempo, tentando utilizar os dias da melhor maneira,
    sendo contudo limitados pelas poucas atividades que nos são permitidas,
    continuando a apoiar os nossos amigos e familiares queridos, mas sem nos podermos aproximar deles,
    ora bem tudo isto é possível que acabe por nos turvar um bocado a caixa dos pirolitos!
    beijinhos Céu,
    até melhores dias, melhor que fiquemos em casa na medida do possível, e que respeitemos os conselhos dos especialistas em saúde pública

    ResponderEliminar
  62. Olá, querida Céu,

    Eis um texto muito oportuno, que reflete totalmente o meu próprio ponto de vista sobre o tema! Por cá - infelizmente - tem vigorado a desobediência aos protocolos relativos à Covid 19. Isso é uma coisa que desanima a gente, quanto à melhora de muitos, por causa da pandemia. Mas eu nunca deixo de ter esperança em dias melhores. E no surgimento de uma humanidade melhor.
    Gostei de saber que Os Maias é o teu livro preferido, do Eça de Queiroz. Coincidentemente é também o meu.

    Beijo

    ResponderEliminar
  63. ☁☁☀☁☁
    Oi Céu! Eu acho que depois que tudo isso passar as pessoas irão só dar graças a Deus e continuar suas vidas como se nada tivesse acontecido. Talvez alguns aprendam um pouco sobre solidariedade e empatia, mas serão poucos...falo assim porque agora muitos agem como se a vida estivesse normal, desrespeitam as regras e não estão nem aí...Tem até quem acredite que tudo isso é balela, que a covid não existe. Por aí vc ver. Ah sim! Conheci Lisboa e adorei! Quero conhecer outras cidades de Portugal se Deus quiser! Bjos!
    ☁☁☀☁☁

    ResponderEliminar
  64. Caríssima Céu, li e reli a brilhante exposição de suas ideias
    sobre a pandemia e fiquei maravilhado com tanta verdade inserida.
    Está irretocável e deveria ser lida pelas pessoas de todo o mundo.
    Meus efusivos parabéns por tão bela, precisa e providencial
    reflexão. A mais completa que já li sobre o tema.
    Meu carinho, meus aplausos e votos de saúde e paz para você e
    família. Terno abraço.

    ResponderEliminar
  65. Oi, Céu... um bom texto para refletir sobre a vida e seus mistérios. ao longo da história fatos acontecem, filosofias explicam, religiões almejam o entendimento...civilizações surgem , chegam ao apogeu e desaparecem, técnicas avançam e tornam-se obsoletas e nós humanos buscamos a razão de tudo. Faz parte de nossa consciência. A vida do ponto de vista coletivo ou pessoal continua sendo um mistério. Busquemos na vida o estar bem e se possível feliz.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  66. Impresionado. Me quedo sin opinión. Edad y capacidad de comprender que la negligencia es solo fruto de la ignorancia y no siempre lo es de la maldad. Lo que más cuesta, sin duda, es aceptarlo y en ello estoy.
    Un abrazo fuerte, Ceu y, ah, no dejes de escribir nunca.

    ResponderEliminar
  67. Olá Céu, a pandemia esfrega na cara das sociedades o que elas mesmas fizeram com o globo terrestre ao longo dos séculos.
    Apenas produziram sem preocupação com as consequências. As doenças nos mostram como somos frágeis. Como tudo é efêmero.
    Gostei das suas colocações,bem pertinentes.
    Xeru

    ResponderEliminar
  68. Hola Céu. Hace tiempo que debería haberte visitado pero lo he ido dejando a pesar de todo el tiempo libre que tenemos ahora. Mis disculpas,amiga.
    Hay un refrán español que dice: "No hay mal que por bien no venga". Es un pensamiento positivo ante las tragedias y muy adecuado para aplicar a tu entrada de hoy. Es posible que muchos no aprendan nada de todo esto que nos está pasando,pero yo,al igual que tú,soy optimista en el sentido de que a la larga -eso sí,muy a la larga- esta sociedad va a cambiar para bien,no nos queda otra si queremos sobrevivir a la furia de este maltratado planeta nuestro. Esto del virus hay que verlo como una lección que nos da la madre Naturaleza para que dejemos de lado nuestra soberbia y nuestro egoísmo y comencemos a ser una sociedad unida para combatir los males que vayan surgiendo porque como bien apuntas,nuestras vidas están siempre al límite. Gracias por tu mensaje de esperanza.

    Un fuerte abrazo desde Extremadura.

    ResponderEliminar
  69. Sem dúvida, faz-nos pensar, o ser humano é muito complicado e por causa de uns e outros estamos como estamos, à espera de dias melhores, beijinhos.

    ResponderEliminar
  70. Olá amiga Céu,

    Muito obrigado pelas suas palavras. De fato, temos a falsa sensação de controle.
    A meu entender, o respeito às normativas preventivas ao COVID, vai muito além de se cuidar, mas fazer cada um a sua parte para o bem coum.

    Forte abraço,
    Calebe Borges

    ResponderEliminar
  71. Bom dia Céu,
    Um texto que de forma bem clara nos fala destes tempos que estamos vivendo em pandemia e comportamentos.
    Temos que fazer a nossa parte para evitar que o vírus se espalhe ainda mais.
    Temos que ser pacientes e resilientes com esta situação que é dura para todos nós.
    Um dia tudo irá passar, tenho essa esperança.
    Muito temos a aprender sobre estes momentos difíceis que vivemos. Nada voltará a ser igual, mas temo que o Homem continue igual a si mesmo: egoísta e sem amor pelo próximo.
    Um beijinho e bom fim de semana, com saúde.
    Ailime

    ResponderEliminar
  72. Hola Céu,

    Una estupenda entrada donde nos haces reflexionar y es que esto nos va servir para que nos tomemos la vida en serio y no pensemos como primates. Los humanos somos así hasta que no nos llegan las cosas directamente a uno mismo o a uno de nuestros familiares no nos damos cuenta de tantas personas que se han ido a otro mundo.

    Realmente tengamos esa esperanza que nos hace falta creando de nuevo esos valores que faltan, sobre todo la solidaridad, la unidad en familia, mirar más por el prójimos, no ser tan egoístas, ni hipócritas y bajarnos más de esos humos tan elevados que no conducen a nada, etc.

    Esto que dejas como gran escrito reflexivo, va a servir que las generaciones que vengan tengan más afinidad con lo que hoy en día no se tiene y sean más coherentes con el nuestro planeta. Gracias por compartir esta magnífica reflexión y deseo que sigas muy bien tanto tú como la familia.

    También te doy las gracias por pasar por mi morada y aportar con esa impronta tuya lo que de verdad, te caracteriza como una gran mujer tanto a nivel poético como filosófico querida amiga.

    Besos al alma y feliz fin de semana !!!

    ResponderEliminar
  73. Olá Céu,
    Obrigada pelo cuidado.
    Espero que continue a estar tudo bem consigo e com os seus.
    Temos de ter esperança e muita fé!
    Desejo-lhe um fim-de-semana feliz e com saúde.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  74. Um texto brilhante e da Céu, eu não estaria à espera de menos.
    Acredito que o ser humano vive. Mais do que nunca, momentos de um egoísmo que se centra no “eu”, no “ter” com um desrespeito ou uma insensibilidade total para com o outro ou para com o “ser”.
    Acredito, igualmente, que os desejos da Céu, são aqueles de todos os que continuam a aspirar por um Mundo melhor, mais justo, mais humano e para mim, é o pensamento a ter.
    Abarcou inúmeros pontos essenciais nesta temática e a forma como o fez foi para mim perfeita, quer pela sensibilidade, quer pela visão positiva, a visar o essencial em detrimento do acidental, aspetos a que apenas nos fazem divergir ou perder.
    Um texto que necessitados de ler, agora mais do que nunca.
    Um beijo, bom fim de semana e que esta inspiração tão especial continue.

    ResponderEliminar

  75. Estou nesta sintonia total
    Pois pelo poder fui multado
    Já devo ao banco de Portugal
    De tanto tempo, ter gastado

    Não o vou procurar reduzir
    Pois todo ele é bem preciso
    Para assim procurar construir
    Todo o melhor porto de abrigo

    O povo tem curta memória
    Esquecendo tudo depressa
    Assim o demonstra a história
    Pois tudo o resto é conversa

    Esta peste nós iremos vencer
    Pois outas já foram vencidas
    Com fármacos e muito crer
    Iremos salvar muitas vidas.

    O que me dói mais é que enquanto uns trabalham dia e noite para o bem comum, outros não tem pejo em por em causa todo esse trabalho. Mas quem é profissional de saúde nunca vira a cara ao lado mesmo que isso ponha a sua vida em risco como já aconteceu a tantos!

    Beijinho


    ResponderEliminar
  76. Olá cara amiga Céu.
    Venho agradecer com carinho a tua visita e desejar-te muita saúde, paz e esperança. O teu comentário me trouxe um sopro muito grande de alegria.
    Belo teu trabalho, muito devemos aprender com o Budismo, esta doutrina filosófica surgida na Índia e como eu não adoram deus ou deuses e sim buscam o fim do sofrimento humano.
    Querida amiga um mega abraço e um grande beijo.

    ResponderEliminar
  77. Oi minha linda amiga Céu ...
    Tudo bem com vc .?
    Esperança e fé sempre !
    Feliz fim de semana 🌺(•ᴗ• ٩)*.

    ResponderEliminar
  78. excelente trabajo Céu te vengo a invitar a mis nuevos poemas de horas rotas , van para ti , muchas gracias por animarme ser un don en el aire de las letras , espero te gusten , un fuerte abrazo,tu amigo siempre. jr.

    ResponderEliminar
  79. Olá, minha querida amiga, Céu.
    Gostava de acreditar numa grande mudança de mentalidades.
    Mas, só o tempo o comprovará!
    Desejo - lhe uma noite abençoada!
    Beijinhos nos seu coração!
    Megy Maia☔💮☔

    ResponderEliminar
  80. Tive muitos insights lendo o seu texto, ótima reflexão
    Beijos ♡ Blog | Instagram | Youtube

    ResponderEliminar
  81. Creo que, pides mucho amigo Cielo, el ser humano por desgracia y naturaleza tiende a olvidar pronto. El ser humano, si quiere mejorar en todos los aspectos debe primero encontrase con su propia madre naturaleza que, es de donde todos venimos, respetarla, amarla y cuidarla es su obligación, todos estamos inmersos en ese mismo barco y si deseamos un mundo mejor y más humano aprendamos de ella.
    A mi modo de ver, cuando todo esto pase, volveremos lamentablemente a la vorágine del día a día sin importar nada lo sucedido, esa es la especie humana amiga Cielo.
    Anduve un poco liado con mi jardín, estamos ya cerca de la primavera y requiere de mi presencia, pero como bien dices es importante encontrar tiempo para todo, nosotros mismos somos el tiempo.
    Me agrado mucho leer tu análisis exponiendo muchas verdades.
    Un abrazo y buen fin de semana de tu amigo Juan.

    ResponderEliminar
  82. Excelente entrada, mis felicitaciones por tu entrada. Un saludo.

    ResponderEliminar
  83. Bom dia Céu
    Excelente texto,para refletir.Que esse momento mostre a real necessidade de mudança,só assim teremos um mundo melhor.
    Beijos

    ResponderEliminar
  84. Seu texto é uma reflexão que faz diferença.

    ResponderEliminar
  85. Olá Céu.
    Excelente Reflexão. Espero estarmos já a caminhar em direção à nossa vitória coletiva sobre o vírus...quanto ao "carácter humano"... não tenho dúvidas...infelizmente manter-se-á o mesmo.
    Um Abraço.

    ResponderEliminar
  86. Adorei o texto, Céu!... E os questionamentos com que termina... quem dera que o ser humano, aprendesse com os erros... mas às vezes, penso que está condenado a repeti-los num loop contínuo... no momento, os números são mais animadores... já se fala num desconfinamento... mas estou convencida, que as pessoas, repetirão os comportamentos de sempre, e após a Pascoa, estaremos todos novamente aflitos... a vacinação está a decorrer... mas a esta velocidade, se calhar nem no final do ano, teremos toda a população do país, vacinada... entretanto, temos de nos preparar para o óbvio... as evoluções do vírus... enquanto uma grande parte da população mundial também não for vacinada...
    A minha mãe, foi ontem chamada para ser vacinada segunda feira! Esperemos que não tenha nenhuma reacção adversa... para já ainda não estou muito preocupada com a primeira dose... normalmente, só na segunda dose, se sente mais algumas reacções, devido ao facto do organismo já reconhecer o vírus, e accionar então, as defesas...
    Vamos ter de ir para um Pavilhão Desportivo aqui das redondezas... estas deslocações, é que eu acho que serão uma fonte de stress adicional para os mais idosos... vamos ver como tudo decorre!...
    Deixo um beijinho, e votos de um bom fim de semana, estimando que tudo aí desse lado, esteja tão bem quanto possível... e as aulas decorrendo da melhor forma... não estou muito a favor do desconfinamento das escolas... é que o verdadeiro problema, não reside nelas... mas no percurso que os jovens fazem... tenho imensas escolas aqui nas redondezas... e sei como os jovens, continuam a agir... em grupos, de mascara no cotovelo, com muitas conversas, abraços e beijos... socializando sem parar... como é próprio da idade... mas como é impensável, com uma pandemia em curso... depois vão para casa... e... temo que Janeiro, se repita em Março ou Abril... pois as estirpes britânica e brasileira, as mais contagiosas, já por cá andam... e como os aviões... já se ouvem, de um lado para o outro... Enfim!... Queira Deus, que eu me engane redondamente... Mas na Europa, também não se vê medidas concertadas... uns confinam... outros desconfinam... e parece que continuamos todos à toa, como há um ano atrás... pelo menos a Alemanha já decidiu que vai aprovar a vacina... que por cá, em Inglaterra e em Espanha, já estão a aplicar aos mais velhos... enfim... acho que todos por mais algum tempo continuaremos a ser cobaias, numa série de erros e tentativas, até se conseguir dominar isto da melhor forma...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  87. Céu minha amiga, estamos mantendo o distanciamento social, para minha felicidade estou com a família completa. Temos que se cuidar esse vírus não está para brincadeira e mesmo quem sobrevive, corre o risco de sequelas.
    Por isso, desejo que você e família também se cuidem ok!
    Quanto a essa poesia "MAGA", trata-se de um desafio que uma amiga de faculdade me fez na mesa de um bar. Ela queria que eu escrevesse uma poesia na hora. O nome dela era Magali e tinha os olhos azuis, o resto ficou para a história, bjs

    ResponderEliminar
  88. Olá querida menina Céu,

    Espero que esteja bem e segura em sua cidade! E também que você consiga se vacinar o mais breve possível dentro do programa de vacinação do governo e faixa etária.

    Li o seu texto e concordo plenamente que o tempo somos nós quem fazemos, portanto as pessoas só não fazem o que realmente não querem ou não acham necessário. Em relação à pandemia realmente ela nos trouxe medo, apreensão, dúvidas em relação ao futuro e como o mundo será quando esse vírus for embora, não temos certeza de nada.

    Já ouvi conversas que vamos precisar usar as máscaras e os protocolos de segurança por até dois anos, não sabemos se a vacina será totalmente eficaz, não sabemos se a vida voltará ao normal num curto espaço de tempo, tudo ainda é muito obscuro. Concordo com você que as pessoas precisam aprender algo com todo esse problema sanitário, mas sinceramente eu não acredito que isso vá acontecer. Já tivemos guerras mundiais, ataques e desastres radioativos, devastações pela força da natureza e nada disso fez as pessoas mudarem comportamentos, atitudes, terem mais empatia e amor pelo próximo, então fica difícil acreditar que isso vá acontecer agora depois da pandemia. Mas sonhar e desejar um mundo melhor será sempre uma esperança que trago no coração.

    Achei o seu texto magnífico e muito propício para o momento, precisamos valorizar a medicina, a ciência, os profissionais de saúde que são verdadeiros heróis e repudiar com toda a veemência possível aqueles que foram contra a vacina, os cientistas, o lockdown nas cidades e que debocharam e menosprezaram o vírus como algo sem importância. Falo de presidentes como Donald Trump e infelizmente o nosso atual presidente do Brasil.

    Espero que a vacina seja o início de um novo tempo, que a ciência vença o mal e nos traga a paz de dias melhores. Que a vida volte ao normal e a pandemia se torne apenas lembranças de um passado que ficou para trás.

    Beijos, abraços e esperança de um futuro melhor!

    ResponderEliminar
  89. Sou um grande admirador da sua força no escrever, querida Céu!
    Parabéns, beijo.
    Jorge

    ResponderEliminar
  90. Querida amiga poetisa ,
    Amei esse texto!
    Nossa vida está sempre por um fio ...
    Muito verdadeiro , pois não temos garantia de vida desde que nascemos !
    Texto bem reflexivo e informativo!
    www.elyanelacerdda.com

    ResponderEliminar
  91. Buena reflexion, ya que nada es seguro en esta vida, desde la mirada de muchos, este tiempo de pandemia ha servido para una detención en nuestra vida, a veces somos muy desagradecidos y no consideramos que cada cosa que tenemos es una bendición, para mis creencias cristianas, Dios ha permitido para un despertar de muchos, que rn la desesperación lo busquen, porque cusndo sentimos que todo está bien y nuestro propio control, creemos que no necesitamos nada, ni a nadie, pero cuando conocemos a Jesús y el verdadero amor, estamos completos. Un abrazo!!!

    ResponderEliminar
  92. Não sei Céu mas quero crer que um pouco, diria, romântica e sonhadora.

    Beijos

    ResponderEliminar
  93. Céu,
    Hoje sim eu li com calma e atenção a sua publicação acima.
    Concordo com tudo escrito de forma clara. Eu lamento muito
    que pessoas não tenham os cuidados necessários para
    protegerem-se e protegerem aos outros. Você usou o termo
    "asfixiado" e mesmo tomando todos os cuidados, posso dizer
    com a experiencia de quem passou/amos(eu e meu esposo)
    pelo covid e sobreviveu/ve para contar;
    esse é o termo "asfixiada" foi assim que me senti dias e dias.
    Mas como você bem diz em seu texto: Tudo isso vai passa.
    Se o ser humano vai melhorar, aí já outra conversa.
    Adorei sua sábia escrita.
    Bjins de boa nova semana.
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  94. Hola mi amiga CEU, buenas reflexiones,
    pero hasta cuando seguiremos viviendo
    con ese temor y cada día están peor los
    contagios, por mas que uno se cuide, hay
    muchos que no lo hacen en fin, no perdamos
    la Fe y que pronto termine, buen inicio
    de semana para ti.

    Besitos dulces

    Siby

    ResponderEliminar
  95. Uma filosofia do bem como esta, seria apropriada para o momento que vivemos.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  96. great thought about relationship between pandemic and Buddhism...
    thank you for sharing

    ResponderEliminar
  97. Oi Céu, amiga querida!
    Obrigado sempre, pelo carinho!
    Ah, Céu!Posso até passar de ingênua e utópica, mas quero acreditar que estamos evoluindo! E logo mais, quando a pandemia virar passado, estaremos melhores! Como diz a música: "melhores no amor, melhores na dor, melhores em tudo "!
    Beijo carinhoso e abraços apertados!

    ResponderEliminar
  98. Céu, que narrativa verdadeira e real!!
    E você disse bem" "Hoje temos emprego, amanhã poderemos perdê-lo, hoje somos saudáveis, amanhã poderemos ficar doentes." E você tem toda a razão, constatou o momento atual em poucas e sensatas palavras!!
    Aqui no Brasil a pandemia trouxe aspectos terríveis do ser humano à tona: como as vacinas são poucas e em doses regradas muitos estão simulando uma aplicação falsa nos idosos para guardar o líquido para parentes ou amigos..Isso realmente é deprimente querida! Em realção ao seu questionamento final, creio que uma nova realidade será uma utopia: O ser humano ainda não aprendeu nada com a pandemia!!
    Me perdoe o pessimismo, mas os exemplos aqui vivenciados estão beirando a um estado de loucura coletiva!!

    Linda semana querida, seu texto belíssimo, como sempre!! :)))

    ResponderEliminar
  99. Hola Céu.

    No veo ingenuidad o utopía alguna en tu certera reflexión de esta situación.

    Sobre el Budismo, su filosofía, religión, forma de ver, entender y vivir el mundo, no cabría negar su relevancia, entre otras formas... de percibirlo. Pero no es la única.

    Las hay cargadas de simbolismos y rituales, huecos la mayoría, no señalaré ninguna en concreto, pero no dejo de reconocer que si al que consideran "El Maestro" y guía de su religión levantase la cabeza, volvería a coger el látigo.

    Y las hay simples y sencillas. Desprovistas de abalorios y juegos de palabras que señalan de manera inequívoca a lo Único. ¡La Realidad Absoluta!

    Gran abrazo Céu.

    ResponderEliminar
  100. Olá Céu! Aqui estou eu. Passando para a visitar. Adorei o seu texto. Também espero que desta trágica pandemia todos possamos tirar alguma aprendizagem. Quero acreditar que no fim, teremos aprendido a ser melhores pessoas; mais atentas ao outro; ao que realmente importa. Separar o trigo do joio. Diante de acontecimentos desta magnitude, que nos ultrapassam e assustam, temos que apreender a priorizar e a dar valor ao que conta. Sempre cuidadosos. Porque cuidado, neste caso, é vida. E a vida conta. Todas as vidas.

    Cuide de si. Continue a escrever. Continuaremos a lê-la com agrado. Beijinho grande.

    Isabel Gomes

    ResponderEliminar
  101. Gostei do texto.
    Muito interessante.
    Espero que esteja bem.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  102. Olá Céu, amo sua visitas ao meu blog e fico feliz em saber que vc está bem, apesar da pandemia. Eu tbm estou bem, meus familiares idem, graças a Deus! Sobre eu falar que estou sem tempo para postagens nos meus blogs e vc perguntar se é falta de tempo ou desmotivação, talvez um pouco dos dois. Agora sou mãe, tenho um bebê de dois aninhos, tenho uma mãe idosa, estudo, tenho as obrigações de casa, enfim... mas sempre que possível arrumo um tempinho para minhas redes sociais. Sobre a reflexão no texto acima, eu tbm adoraria que depois da pandemia a consciência das pessoas despertasse e que houvesse mudanças na sociedade, mudanças para melhor, em todos os sentidos.
    Beijos e até breve!

    ResponderEliminar
  103. Querida amiga, concordo em parte contigo, mas essa pandemia veio mostrar o lado bom e ruim da pessoas, isso começando por quem governa. Estou vendo pessoas se doando e pessoas se aproveitando, mostrando muitas vezes o lado ruim que nem sabíamos existir.
    Gostaria muito que as pessoas despertassem e aprendessem com tanto sofrimento, mas o mundo sempre foi assim, e creio que não vai mudar!
    Vamos seguindo e nos cuidando fazendo a nossa parte!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  104. Querida amiga Céu, li com atenção e digo que nao és ingênua e nem utópica, eu também desejo de coração que todos possam aprender algo de bom e valorizar mais a vida.
    Sabemos e temos visto que, nem todos melhoram, os que são maus aprimoram a maldade e os que são bons, também o fazem, aprimoram a bondade e percebem que somos frágeis, muito frágeis diante de um vírus microscópico que causam tantos danos aos que, principalmente, aos que já sofrem comorbidades!
    Vamos torcer para vermos isso tudo passando o mais rápido possível!
    Abraços sempre apertados com beijinhos minha amiga!

    ResponderEliminar
  105. ¡Hola CÉO

    Nos dejas un testo muy interesante y para tener en cuenta todo lo que explicas muy razonablemente. Es vedad que el comportamiento de mucha gente hace que esta pandemia tarde más en desaparecer. y también es una falta de respeto para quien haca las cosas bien
    bueno, parece que con las vacunas esto va a ir mejor, aunque las mascarillas no vamos a poder sacarla de momento, y esto sí que da rabia, a mí en particular, me afectan a la respiración me es una gran molestia, ya no salgo mucho de casa para no ponerla.

    Hasta otro momento, amiga. Te dejo mi abrazo y mi inmensa gratitud por tu huella y por preocuparte de mi salud. Estamos todos bien, de momento. Mil gracias.
    Feliz fin de semana, reina.

    ResponderEliminar
  106. Oi Céu,
    Prefiro acreditar na utopia, pois com tudo que estamos vivendo prefiro acreditar que seremos pessoas melhores. Eu sei que me transformei, não consigo só olhar e pensar em mim mesma.
    Amei o texto você escreveu com maestria.
    Obrigada pela visita!
    Tenha um ótimo final de semana!!!
    Beijos querida ❤

    ResponderEliminar
  107. Eu fico triste que as pessoas não acreditam na pandemia.. o texto é bastante rico!!

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderEliminar
  108. Bela reflexão, mas vou te confessar que aqui onde me encontro, vejo que o negacionismo está conquistando novas cepas do virus muito mais agressivas, que me fazem duvidar que a coletividade vai tirar algo de bom dessa situação toda que vivemos. Meu núcleo familiar e de amigos tem seguido rigidamente as regras sanitárias para manter a saúde de todos ao nosso redor. Costumo dizer que "meu mundo" está perfeito, só sinto falta de abraçar meus amores. Mas o mundo que vejo fora do meu círculo é triste e muito assustador, repleto de pessoas sem um pingo de empatia que estão começando a ver pessoas morrerem em casa sem conseguirem atendimento médico. Tempos muito sombrios estão no horizonte brasileiro. Estamos nos mantendo vivos apenas para chegar ao final disso tudo e conviver com pessoas portadoras de sequelas sérias, muita dor, fome e desemprego.
    Muita Luz e Paz!
    Abraços

    ResponderEliminar
  109. Lo peor de nuestra especie es que muy pocos están limpios para buscar en su interior esa paz sincera y neutra que no se contamine de necias envidias y manipuladores deseos.

    Nada nos hace cambiar aunque creamos hacerlo.

    Un abrazó.

    ResponderEliminar
  110. Olá Céu, muito bacana a reflexão. Obrigado por compartilhar.
    E gratidão pela passagem lá no blog.
    Respondendo sua pergunta, Claudinei era conhecido aqui na cidade por organizar e participar de romarias a pé para Aparecida do Norte.

    ResponderEliminar
  111. Olá Ceu o seu texto faz todo o sentido , é uma ótima reflexão por tudo o que estamos a passar mas o problema é que há pessoas que agem como se nada estivesse acontecer. Há pessoas que não mudam de atitude mesmo com o pesadelo afrente .Um abraço

    ResponderEliminar
  112. Olá, amiga Céu!
    Tudo bem com a amiga? Espero que sim. Comigo está tudo bem.
    Passei por aqui, para desejar uma boa noite, um feliz dia da Mulher, e uma excelente semana!

    Beijos e abraços!

    ResponderEliminar
  113. Belíssima reflexão, Céu!

    Não está senso utópica, esse é um desejo genuíno: de que a sociedade como todo possa levar a vida de uma forma mais consciente e respeitosa com tudo e com todos.

    Acredito que nada nos acontece por acaso. Podemos não compreender no momento em que está acontecendo, mas tenho certeza que logo adiante teremos a compreensão necessária para entender determinada situação.

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  114. Bom dia, Céu!
    Passei para deixar a você um grande abraço pelo "Dia da Mulher"
    Beijos!

    ResponderEliminar
  115. Buenas tardes. Es interesante todo lo que dices. Tengo familia que ha pasado la enfermedady algunos lo han pasado bastante mal. Mejor quedarse en casa.

    Un beso

    ResponderEliminar
  116. Amiga Escritora / Poetisa, CÉU !
    Que belo texto, reflexivo, cheio de quesionamentos
    e respostas.
    Cada um dará a sua.
    A lição está no ar... à frente da máswcara, que
    serve, também, de trincheira.
    Esta desgraça está nos mostrando o quanto somos
    vulneráveis e frágeis.
    É... a tempestade nos pegou em pleno campo aberto.
    "Salve-se quem puder", é a palavra de ordem para
    quem desobedecer os conselhos da ciência.
    Parabéns, amiga, duplamente. Pelo belíssimo texto
    e pelo " Dia Internacional da Mulher ".
    Um fraternal abraço, aqui do Brasil e uma ótima
    semana !
    Sinval.

    ResponderEliminar
  117. Boa tarde!!
    Você só trouxe grandes verdades nesse texto. Infelizmente, apesar de tantas mortes e o medo da contaminação, grande parte da população fecha os olhos e continuam levando a vida como se tudo estivesse normal.
    Acho que devemos por a mão na consciência e agir com prudencia, se não pelo nosso próximo, que seja por si mesmo.
    Um abração.

    ResponderEliminar
  118. Uma reflexão magistral, perfeita...
    Nós somos o que somos, mas o nosso principal problema é o egoísmo.
    Cada um entende por si, sobrepondo os seus pensamentos e interesses acima dos demais, apostando que isso é a perfeição e justeza.
    Acredito que nada nos acontece por acaso.
    Podemos não compreender o que está acontecendo, mas estou seguro que viremos a descobrir o verdadeiro entendimento e compreensão.
    Que as sociedades se descubram depressa pra bem da gente.
    Parabéns, renovados.


    Beijo
    SOL da Esteva

    ResponderEliminar
  119. Olá, Céu!
    Obrigada pela visita!
    Muito válida a sua reflexão, mas, sinceramente temo que o coração do homem já esteja tão insensível, que nem diante deste sofrimento todo possa mudar. Assim vejo pela atitude de tantas pessoas aqui no Brasil, na maior irresponsabilidade e pouco caso com o cuidados com as pessoas. Também gostaria que fosse diferente!
    Abraços e boa semana!
    http://dedeartes-denise.blogspot.com

    ResponderEliminar
  120. Muitas verdades encontrei, Céu, ao longo deste teu (belo) texto! Também acho que o tempo (ou o que fazemos com ele) é uma questão de opção. Também acredito que devemos viver cada dia como se fosse o último; até porque um deles fatalmente será. E também creio que podemos tirar, dessa pandemias, lições valiosas... ou não. Tudo, sempre, depende de nós! Meu abraço, amiga; boa semana!

    ResponderEliminar
  121. Quem sabe amiga, este seja mais um aviso, mais um alerta àqueles que, dotados da mais horrenda e desenfreada ambição, insistem em maltratar a MÃE NATUREZA que, já há muito, reclama pelas agressões que lhes são impostas. Tenho muita FÉ que as coisas vão mudar e que tudo voltará a ser como, ou bem melhor que antes. Belíssimo texto amiga. Parabéns!

    Beijos e uma ótima semana para ti e para os teus.

    Furtado

    ResponderEliminar
  122. Olá Céu, amada amiga.
    Passei para deixar-te abraço e saber como estás. Espero que tudo esteja muito bem. Aqui estamos enfrentando o descaso deste governo fascista, negacionista e as mortes se acumulam, mais de 2.000 óbitos por dias, mas ele, o boçal, continua dizendo que é só uma gripezinha (há dois pedidos de afastamento dele, por demência). Caríssima, aproveitando todo o tempo que disponho, passei em teu espaço e comecei desde a primeira publicação, 2015, e fui lendo, cada dia cinco ou seis poemas, já estou em 2018, porém todos com os comentários suspensos.
    Desejo muita saúde e alegria nestes tempos de pandemia.
    Uma grande abraço.

    ResponderEliminar
  123. Eu amei o seu texto sobre esse assunto. Nunca parei para pensar por essa ótica budista, mas gostei. O que me deixa triste em tempos de coronavírus é que aqui no Brasil as pessoas não veem a gravidade da situação. Estamos vivendo normalmente, como se nada estivesse acontecendo, mas com milhares de pessoas morrendo todos os dias. Isso me deixa bastante triste.

    https://www.biigthais.com/

    Beijoos ;*

    ResponderEliminar

O MUNDO PASSA POR AQUI